Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra
Avenida Brasil, 2351 - N, Jardim Europa, 78.300-901 (65) 3311-4800

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Prefeitura de Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411 - 3500 WhatsApp (Ouvidoria): (66) 9 8438 - 0857

domingo, 31 de dezembro de 2023

"Mundo mudou, e nós também precisamos mudar", apela Scholz

Pandemia, guerra na Ucrânia e no Oriente Médio, migração: em mensagem de Ano Novo, chanceler federal alemão diz que crises e conflitos múltiplos pedem mais união e disposição para fazer diferente e assumir compromissos. Os piores prognósticos para a Alemanha não se concretizaram e o país, que atravessa uma fase difícil desde 2020, tem perseverado e prosperado apesar disso. A avaliação é do chanceler federal alemão e social-democrata Olaf Scholz em sua mensagem televisionada de Ano Novo.
O chefe de governo lembrou que o país mal começava a se reerguer de uma pandemia quando teve início a "guerra implacável" da Rússia na Ucrânia, em 2022, com consequências devastadoras para uma Alemanha altamente dependente do gás vindo de Moscou e uma virada histórica na política de defesa do país, com reflexos no Orçamento. Para piorar, a eclosão do conflito no Oriente Médio, desencadeado pelo "brutal ataque terrorista do Hamas contra Israel" em 7 de outubro de 2023, adicionou ainda mais instabilidade ao cenário internacional.
"Tanto sofrimento, tanto sangue derramado. Nosso mundo se tornou mais áspero e intranquilo; ele está mudando muito rapidamente", constatou.
"Também nós precisamos mudar por causa disso – algo que preocupa a muitos de nós. Para alguns, isso é motivo até de insatisfação. Eu levo isso a sério", prosseguiu, em um aceno aos críticos do governo de coalizão – uma aliança entre sociais-democratas, verdes e liberais com interesses por vezes contraditórios e de difícil conciliação, e que nunca foi tão impopular quanto agora.
"Ao mesmo tempo sei: Nós, na Alemanha, vamos superar isso", emendou, em um apelo motivacional que lembra o famoso bordão "nós vamos conseguir" de sua antecessora, a longeva Angela Merkel, do partido rival e conservador CDU.
"Também nos saímos bem diante das adversidades", argumentou Scholz, citando os índices recordes de emprego no país, a queda da inflação, o aumento dos salários e das aposentadorias – em razão da própria pressão inflacionária que, em alguns pontos, como na habitação, ainda não dá sinais de arrefecimento – e os "reservatórios de gás cheios até a borda para este inverno", aliviando o temor dos alemães quanto à falta de calefação adequada e aos reflexos na economia de uma indústria mau-humorada com os altos custos de produção.
O social-democrata admitiu, porém, que a coalizão terá dificuldades para enfrentar todos os desafios do país, como investimentos nas redes viárias e ferroviárias, na transição energética, na proteção do clima e na economia. A Alemanha passa por dificuldades orçamentárias, e um julgamento recente do Tribunal Constitucional impôs limites à capacidade de endividamento da República, forçando o governo a redefinir suas prioridades.
Apelo à união e à conciliação
Para o chanceler federal alemão, é a democracia e o entendimento de que cada um é útil à Alemanha que faz a força do país. "Tanto a pesquisadora de alto nível quanto o cuidador de idosos, tanto a policial quanto o entregador, a aposentada tanto quanto o jovem aprendiz."
Lembrando a queda da antiga Alemanha Oriental e a reunificação alemã, Scholz ressaltou o valor da democracia. Poder participar dos debates nacionais e da tomada de decisões é um "bem precioso", e discussões sobre o caminho correto a ser percorrido fazem parte, disse, antes de fazer um apelo contra a polarização e o clima de entrincheiramento que tem pairado mundo afora e também sobre a Alemanha: "Nada vai melhorar se só falarmos um por cima do outro, em vez de um com o outro. O que nos fortalece é a nossa disposição ao compromisso, nossa ação uns pelos outros."
Também no contexto das guerras na Ucrânia e no Oriente Médio, da crise migratória, da ascensão do autoritarismo e de uma ordem geopolítica cada vez mais organizada em torno de Estados Unidos e China, Scholz defendeu o fortalecimento da União Europeia (UE).
"Quando a UE age conjuntamente, o faz em nome de mais de 400 milhões de cidadãs e cidadãos. Em um mundo com 8 bilhões de pessoas, futuramente talvez até 10 bilhões, isso é um verdadeiro trunfo", explicou, antes de alertar para as "amplas consequências também para nós aqui na Europa" da eleição presidencial americana, agendada para 2024.
Em outro aceno a um país que tem se mostrado cada vez mais sobrecarregado e exasperado com a migração, o chanceler celebrou ainda o novo pacto de migração europeu. "Já nas últimas semanas diminuiu nitidamente o número daqueles que chegam por essas fronteiras."
Rayanne Azevedo/Caminho político
@caminhopolitico @cpweb
Curta nosso Instagram: @caminhopoliticomt
Curta nosso facebook: /cp.web.96

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos