Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

GOVERNO DE MATO GROSSO

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

terça-feira, 18 de junho de 2024

ROSÁRIO OESTE COM REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA: Moradores de Rosário Oeste pedem intervenção de Botelho para agilizar escrituras

Deputado acompanha problema desde 2016 e vai conversar com o governador para resolver situação do Fonte de Luz. Após oito anos e 16 reintegrações de posse, moradores do Assentamento Fonte de Luz, de Rosário Oeste (a 120 km da Capital), que ocupam área da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), estão próximos de ganhar o direito da escritura definitiva. A justiça entende que a ocupação está consolidada, aguarda apenas retorno do Estado. Para resolver a situação, o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Botelho, vai conversar com governador Mauro Mendes ainda nesta semana.
Botelho esteve na comunidade, no sábado (15 de junho), e participou da assembleia geral da Associação Comunitária Mato-grossense de Agricultura Familiar de Rosário Oeste (Acmaf). Durante o evento, fez o compromisso de inserir o assentamento no grande programa de regularização fundiária, que está a todo vapor em Mato Grosso. A previsão do Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat) é de entregar 20 mil títulos registrados em cartórios gratuitamente até 2026.
“Acompanhamos essa situação desde 2016. A equipe da Procuradoria da ALMT está a par de todo processo do Assentamento Fonte de Luz. Fizemos Audiência Pública em 2018, teve muitos debates com todos os envolvidos, e desde então, a Assembleia dá assistência social e jurídica às famílias que vivem da agricultura familiar. Agora, vamos agendar com o governador Mauro Mendes uma reunião e resolver definitivamente, pois a justiça já deu parecer positivo. Tenho certeza que Mauro vai atender prontamente essa demanda”, afirma o presidente do Legislativo.
A procuradora da ALMT, Fernanda Lucia de Oliveira Amorim, explica que a equipe da justiça estadual vai detalhar como será feita a regularização. “A Comissão de Assuntos Fundiários do Tribunal de Justiça decidiu que aqui é uma área pública e não dá para requerer por qualquer método de usucapião. O prazo do Poder Judiciário foi de um ano para o Estado e já decorreu, mas ainda não começaram as tratativas”, contextualiza Fernanda Lúcia Oliveira de Amorim, mostrando a importância da intervenção do deputado Botelho.
“Sem o Botelho junto ao governador não vai chegar essa informação, que a juíza já determinou que o governo nos regularize. Sem ele, isso não vai chegar. Tudo depende do governador, e Botelho é nosso elo, quem a gente confia é primeiro Deus e depois o deputado, disse a presidente da Acmaf e moradora do Assentamento Fonte de Luz, Edileuza de Souza Santos.
O medo de perder o terreno e todo o investimento já feito pelos pequenos produtores, foi apontado pelo prefeito de Rosário Oeste, Alex Berto. “O impacto positivo do assentamento ser efetivado é muito bom para o município. Botelho é amigo de Rosário Oeste, deu todo andamento que talvez não tenha tido antigamente e com isso, o processo andou e caminha para dias melhores, sem ter aquela sombra de perder seus lares aqui no assentamento”, comentou o prefeito.
Produção agrícola
No assentamento Fonte de Luz, a produção de caju, laranja, limão, abacaxi, abóbora, mandioca, cana-de-açúcar, entre outros, abastece os mercados de Rosário Oeste e Nobres.
Conforme, o produtor rural Ailton Ribeiro, 69, que mora com as duas filhas no assentamento desde 2016, o plantio de mandioca, banana, cana e pequi é de alta qualidade e bem conhecida em toda região. “Estamos felizes porque já está quase pronto para recebermos o título da terra, graças ao Botelho. Foi bastante sofrido, mas agora estamos contentes”, diz aliviado após tomar conhecimento da decisão do TJMT.
Outra moradora é Jucineide Maria da Silva, que processa a mandioca e a banana que produz para fazer várias delícias que vende nas feiras livres da cidade. “Deixei de pagar aluguel desde 2017 e vim morar aqui. Vamos ficar mais tranquilos, pois tá muito perto de recebermos a nossa escritura”, comemora Juci, como popularmente é conhecida pelos clientes.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico cpweb
Curta nosso Instagram: @caminhopoliticomt
Curta nosso facebook: /cp.web.96

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos