Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

GOVERNO DE MATO GROSSO

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

segunda-feira, 17 de junho de 2024

VAMOS REAGIR CONTRA ESSAS TAXAÇÕES DE TUDO: Blairro Maggi reage contra medida "PROVISÓRIA" que prejudica negócios da "AMAGGI"

Antes de ser devolvida pelo Congresso Nacional, a medida provisória que limitou o uso de crédito do PIS/Cofins foi alvo de forte reação por parte de dois empresários que têm proximidade com o presidente Lula.
Um deles foi o ex-governador e ex-senador Blairo Maggi, acionista da Amaggi (ex-grupo Maggi), empresa que é uma das maiores produtoras de soja do mundo. O empresário ligou para o presidente da República para apresentar uma série de reclamações sobre a medida.A MP, em linhas gerais, limitava o uso dos créditos do PIS/Cofins, dois tributos federais que são utilizados pelas empresas para compensar o pagamento de impostos ou obter a restituição de valores.
Após ser acionado por Maggi, Lula repassou as queixas para o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, que prontamente entrou em contato com o empresário. Na conversa, o ministro alegou que exportadores, como o grupo de sua família, não seriam prejudicados, ao contrário da versão corrente. Não convenceu.
Também pesou a fala de Rubens Ometto, presidente do Conselho de Administração do grupo Cosan, multinacional brasileira que atua em setores como o agronegócio e combustíveis.
Governo desrespeita as leis
No último dia 8, o empresário criticou o governo durante evento do Grupo Esfera e disse que o Palácio do Planalto “desrespeita” as leis. “Do jeito que está, com o governo querendo meter a mão, querendo taxar tudo, não dá”, disse Ometto, que é próximo de Lula e doador do PT na última eleição.
Durante reunião com representantes da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e da Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA) na última terça-feira, 11, Haddad não escondeu a irritação com o posicionamento de Ometto.
O ministro da Fazenda gastou alguns minutos criticando o posicionamento do empresário. Disse que a fala havia sido muito dura e que o governo era parceiro dele. E ainda fez uma comparação: ponderou que Blairo Maggi ao menos foi educado e ligou para conversar, enquanto Ometto foi a público para descarregar o verbo.
Ao fim, os dois empresários venceram, e a MP de Haddad, com o aval de Lula, acabou enterrada.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico cpweb
Curta nosso Instagram: @caminhopoliticomt
Curta nosso facebook: /cp.web.96

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos