Águas Cuiabá - Iguá Saneamento

Águas Cuiabá - Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

BOLSONARO X CLASSE TRABALHADORA

BOLSONARO X CLASSE TRABALHADORA
BOLSONARO NÃO!

Prefeitura de Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá
Praça Alencastro, nº 158 - Centro - CEP: 78005-906

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

ABAV EXPO 2018 Conecta

ABAV EXPO 2018 Conecta
Av. Olavo Fontoura, 1209 - Portão 1 - Santana, São Paulo - SP E-mail: visit@abavexpo.com.br

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

"Visita à Rússia chega ao 9º dia e comitiva destaca necessidade de investimentos em ferrovias"

A comitiva formada por empresários da Aprosoja, o senador Wellington Fagundes (PR/MT) – representando o Senado Federal - e membros do Movimento Pró-Logística, segue viagem pela Rússia conhecendo os detalhes do funcionamento logístico do país, principalmente os modais ferroviário e hidroviário. Em visita à RZD – a maior operadora de ferrovias da Rússia, que trabalha sobre uma malha de 85 mil quilômetros de trilhos e transporta seis vezes mais que todas as empresas do Brasil somadas – o grupo pôde conhecer o centro de controle e operação de infraestrutura, o qual funciona 24h para atender qualquer problema que possa acontecer na malha ferroviária.

“Uma das principais diferenças que observamos em relação à logística da Rússia e do Brasil está no investimento que é feito em ferrovias. Para se ter uma ideia 81% da produção Russa é feita por trens, são dois bilhões de toneladas de produtos e 12 bilhões de pessoas transportadas ao ano. Eles investem pesado tanto em transporte de passageiro, como de cargas. Acredito que esse investimento, em, ferrovias é o ponto forte para ser realizado em nosso país para desafogar as rodovias”, explicou Wellington Fagundes.

Na cidade de Kostroma - 280 km de Moscou – a comitiva conheceu o estaleiro que produz empurradores, barcaças e outros tipos de equipamento de navegação. “Nesta visita tivemos a oportunidade de observar que os valores que eles cobram para a fabricação de equipamentos são bem menores que no Brasil, por conta dos impostos. Isso gera tecnologia de ponta. E olha que por conta do clima, os russos não investem tanto em hidrovias, pois na maior parte do ano as águas estão congeladas”, destacou Edeon Vaz - diretor executivo do Movimento Pró-Logístico de Mato Grosso.

Ainda nesta semana, o grupo fará uma visita técnica ao Ministério da Agricultura do país europeu, e conhecerá empresas importadoras de grãos e cooperativas, visando aprender sobre o sistema produtivo de soja e milho da Rússia, sua capacidade de produção, crescimento estimado para os próximos 15 anos, os volumes exportáveis e a capacidade de esmagamento.

Além do senador de Mato Grosso, participam da missão o presidente da Aprosoja Brasil, Marcos da Rosa; o presidente da Aprosoja Mato Grosso, Endrigo Dalcin; o diretor executivo do Movimento Pró-Logístico de Mato Grosso, Edeon Vaz; coordenadores da Comissão de Logística de Aprosoja e do MPL-MT, Antônio Galvan e Fernando Caldore; e o analista político, Alfredo da Motta Menezes.



Da assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário