CASA DOMINGOS

CASA DOMINGOS
Grandes marcas, com produtos de qualidade Av. Feb 861 Bairro: Manga Cep: 78.110-798 - Varzea Grande

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi, 6 - Centro Político Administrativo, Cuiabá - MT, 78049-901 Telefone: (65) 3313-6900

Programa da Gente

Programa da Gente
De segunda a sexta-feira das 10:00 ás 11:00 horas

TCE MT GESTÃO NOTA 10

"NOBRES:Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

"NOBRES:Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

"Antônio Palocci deixa o PT"

Brasilien Politiker Antonio Palocci (Reuters/U. Marcelino)Em meio a processo de expulsão do partido, ex-ministro oferece sua desfiliação e volta a acusar Lula. Em nota, presidente do PT afirma que Palocci mente para conseguir acordo de delação premiada.Depois de acusar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de receber vantagens ilícitas da Odebrecht. o ex-ministro Antônio Palocci solicitou nesta terça-feira (26/09) sua desfiliação do partido. O pedido foi feito numa carta enviada à presidente do PT, Gleisi Hoffmann. "Ofereço a minha desfiliação, e o faço sem qualquer ressentimento ou rancores. Meu desligamento do partido fica então à vossa disposição", escreveu Palocci. O PT havia iniciado na semana passada o processo para expulsar o ex-ministro, acusado de trair a fidelidade partidária. Na carta de quatro páginas, o veterano petista e antigo homem-forte do governo Lula disse achar estranho que o processo tenha sido aberto após as declarações que fez sobre o ex-presidente e não por sua condenação. O ex-ministro reafirmou ainda as declarações feitas em seu depoimento ao juiz federal Sergio Moro sobre o ex-presidente e disse acreditar que o próprio Lula vai em breve confirmar tudo. "Sei dos erros e ilegalidades que cometi e assumi minhas responsabilidades. Mas não posso deixar de destacar o choque de ter visto Lula sucumbir ao pior da política, nos melhor dos momentos do seu governo", escreveu Palocci. O ex-ministro criticou também as gestões petistas e a ex-presidente Dilma Rousseff. "Nós, que nascemos diferentes, que fizemos diferente, que sonhamos diferente, acabamos por legar ao país algo tão igual ao pior dos costumes políticos." Palocci defendeu um acordo de leniência em favor do PT e disse que chegou a discutir a proposta com Lula e o ex-presidente do partido Rui Falcão. Na carta, o ex-ministro relembrou sua trajetória no PT e assumiu suas responsabilidades pelo que chamou de "deterioração moral" do partido. "Lamento dizer que, nos acertos e nos erros, nos trabalhos honrados nos piores atos de ilicitudes nunca estive sozinho." Ele encerrou a carta afirmando que aceitaria as penalidades impostas pelo PT, mas ressaltou que "não pode fazê-lo neste momento e neste formato proposto pelo partido, onde quem fala a verdade é punido e os erros e ilegalidades são varridos para debaixo do tapete". Em nota, a presidente do PT afirmou que Palocci está mentido e disse que a carta seria destinada, na verdade, aos procuradores da Lava Jato, com quem o ex-ministro tenta fechar um acordo de delação premiada. "A forma desrespeitosa e caluniosa como se refere ao ex-presidente Lula demonstra sua fraqueza de caráter e o desespero de agradar seus inquisidores. Política e moralmente, Palocci já está fora do PT", destacou Gleisi.
CN/ots/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário