CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)

CÂMARA MUNICIPAL de RONDONÓPOLIS - Presidente Rodrigo da Zaeli (PSDB)
Endereço RUA CAFELÂNDIA, 434 Bairro: LA SALLE RONDONÓPOLIS - CEP 78.710-050 - MT

A Assembleia Legislativa do Mato Grosso criou um aplicativo inovador para ajudar os cidadãos MT

Prefeitura de Cuiabá - Mutirão da Conciliação Fiscal

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

"IMPLANTES HORMONAIS: Hospital em Cuiabá oferece tratamento de reposição hormonal por implante ultramoderno"

Os chips manipulados foram criados para tratar doenças típicas e outras disfunções das mulheres, as quais existem várias combinações possíveis. A Femina Hospital Infantil e Maternidade oferece tratamentos com implantes hormonais que respondam especificamente às necessidades de cada mulher. “Os implantes são utilizados para uma gama muito grande de situações que vão desde a reposição hormonal em mulheres menopausadas, tratamento da endometriose, da tensão pré-menstrual (TPM), miomatose (tumores não cancerosos), diminuição da libido, entre outras”, explica o médico ginecologista responsável pelos procedimentos na Femina, Laerte Basso Júnior. Os tratamentos podem ser utilizados para suprimir a menstruação e como anticoncepcionais. "De fato, os hormônios desempenham um papel muito importante na saúde e bem-estar da mulher já que são eles que controlam o metabolismo do corpo e também são os grandes causadores de mudanças de comportamento, destaca o médico Laerte Basso, especialista na área",destaca Laerte Basso. Os chamados chips são na verdade segmentos de tubo microporoso de silicone contendo substâncias como estradiol, progestinico, testosterona e o acetato de nomegestrol, que são colocados na paciente mediante receituário médico de acordo com o tratamento indicado. Após o procedimento, os sintomas podem ser amenizados a as graves consequências podem ser evitadas, como salienta Laerte Basso. O hormônio contido na cápsula vai sendo liberado gradualmente ao longo de seis meses ou um ano, de maneira segura e com dosagem personalizada, destaca o especialista. O procedimento é realizado em consultório e a aplicação é feita com anestesia local, com a ajuda de um trocater (instrumento cirúrgico utilizado para não lesar os músculos), com duração média de 10 minutos. As vantagens em relação a outros métodos, além de perdurar por um ano, ao contrário da administração via oral diária que acarreta muitas vezes o esquecimento e o abandono do tratamento, é o fato da substância ser liberada diretamente na corrente sanguínea, evitando o metabolismo da primeira passagem pelo fígado, eliminando assim efeitos colaterais indesejáveis característicos dos medicamentos a base de hormônio, justifica Laerte Basso.
RECOMENDAÇÃO – Os implantes são indicados para mulheres desde a puberdade precoce (10 anos) até a reposição hormonal (80 anos). Em geral os implantes hormonais são recomendados para endometriose, que pode chegar a causar infertilidade e TPM – em especial para combater os problemas que antecedem a menstruação como inchaço, enxaqueca e distúrbios do humor. Os implantes também são utilizados em tratamentos de mioma e problemas de libido (baixo desejo sexual), que podem ser resolvidos com a associação de implantes de testosterona ao implante anticoncepcional.
TRATAMENTO – O médico ginecologista Laerte Basso destaca que o método de implantes hormonais oferecem diversos benefícios para as mulheres. “Uma das vantagens é a manutenção da musculatura, diminuição de gordura corporal e celulite, além de promover ganho de massa muscular. Outros benefícios é a beleza e o brilho da pele, além de evitar a queda precoce de cabelo, melhora da disposição física, regula o sono, melhorar as funções cognitivas e preservar a memória”, exemplifica Laerte Basso. O tratamento hormonal por meio de implante previne e reverte a osteoporose, aumentando a vida das células que constroem o osso novo, diminui a incidência de alguns tipos de câncer, tais como: câncer do intestino e câncer do endométrio.
PREVENÇÃO – Os implantes hormonais também previnem a arteriosclerose (endurecimento das artérias decorrente da hipertensão arterial), regulando a produção do bom colesterol (HDL), diminuindo o colesterol ruim (LDL) e, assim, diminuindo os riscos de ataques do coração decorrentes do acúmulo de placas gordurosas nos vasos sanguíneos. “Os hormônios sexuais também são responsáveis pela liberação do odor característico feminino, elemento fundamental na dinâmica sexual. O feromônio, tipo de hormônio sexual detectável pelo olfato, é um subproduto da testosterona e do estradiol, aumento da libido, lubrificação e higidez vaginal, redução dos fogachos e sudorese”, destaca o médico Laerte Basso.
Os implantes também são utilizados no tratamento da menopausa, servindo para repor os hormônios que deixam de ser produzidos naturalmente nesta fase da vida.
Assessoria de Imprensa Hospital Infantil e Maternidade Femina - ZF Press

Nenhum comentário:

Postar um comentário