A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.

A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.
Av. Historiador Rubens de Mendonça, 2.368 - Sala 104 Bosque da Saúde - Cuiabá-MT - 78050-000 comercial@expovarejo.com.br | Fone: (65) 3057-5200

Iguá Saneamento

Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

Vivência com o povo Xavante, 6 a 12 de Julho de 2018

Vivência com o povo Xavante, 6 a 12 de Julho de 2018
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Greenpeace no Brasil

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

terça-feira, 5 de dezembro de 2017

"Controle da aftosa na Amazônia ‘valoriza rebanho bovino de MT', garante senador"

Relator do projeto sobre Gestão de Riscos na Agropecuária, Wellington Fagundes foi agraciado com a Ordem do Mérito da Medicina Veterinária. O Amazonas e o Amapá foram reconhecidos como Estados que possuem Zona Livre de Febre Aftosa, com vacinação. O status foi concedido pelo ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, que também fez a entrega do certificado Zona de Proteção para o Estado do Pará. Membro da Comissão de Agricultura do Senado Federal, o senador Wellington Fagundes (PR-MT) afirmou que esse trabalho “valoriza o rebanho bovino de Mato Grosso e fortalece as exportações brasileiras”. De acordo com o Ministério da Agricultura, há expectativa que a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) faça o reconhecimento internacional da condição sanitária desses Estados amazônicos até maio do ano que vem. “Com isso – acentuou o senador – teremos uma ampla área consignada em condições sanitárias que darão mais segurança nos negócios externos”. Em viagem aos Estados amazônicos, acompanhando o ministro da Agricultura, o senador Wellington fez questão de ressaltar o trabalho que vem sendo implementado no Senado para melhoria da segurança na agropecuária brasileira. Ele é o relator do Projeto de Lei 4/2017, que estabelece a Política Nacional de Gestão de Riscos Agropecuários, na qual se inclui a questão do combate à aftosa no campo da sanidade animal. Esse projeto foi apresentado a partir de relatório da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária 1/2017, referente à Avaliação da Política Pública de Seguro Rural em 2016, esenvolvida pelo Poder Executivo, da qual o senador Wellington também foi relator. A proposta define ações e instrumentos para a Política Nacional de Gestão de Riscos Agropecuários, e tem como objetivo de estimular o aumento da produção para garantia do abastecimento interno e das exportações.
“Precisamos avançar na redução dos riscos, entre os quais estão as variáveis biológicas, como pragas e doenças. Com isso, vamos induzir o aumento da produtividade e o emprego de tecnologias adequadas, além de sistematizar a atuação do Estado para que os diversos segmentos do agronegócio possam planejar suas ações e investimentos em médio e longo prazos” – salientou. ORDEM DO MÉRITO – Em Belém (PA), o senador Wellington Fagundes participou da reunião do Congresso Brasileiro de Medicina Veterinária (Cobravet-2017). Na ocasião, foi agraciado com a Ordem do Mérito da Medicina Veterinária Brasileira, outorgado pela Sociedade Brasileira de Medicina Veterinária, que homenageia personalidades, nacionais e internacionais, que com o seu trabalho, inteligência ou ação política tenham contribuído para o desenvolvimento da pecuária, sanidade animal, inspeção e tecnologia de alimentos, pesquisa, ensino, meio ambiente, saúde pública e demais atividades da veterinária brasileira e mundial.
Durante o evento, o senador de Mato Grosso fez questão de destacar o trabalho da bancada de senadores dos Estados amazônicos. Segundo ele, existe uma forte convergência de interesses em vários segmentos, tais como a infraestrutura logística e de incentivos públicos. “São questões que exigem uma boa articulação, que segue avançando. Tudo que beneficia a Amazônia brasileira, beneficia Mato Grosso” - salientou.
Da Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário