Águas Cuiabá - Iguá Saneamento

Águas Cuiabá - Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

MRV ENGENHARIA

Prefeitura de Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá
Praça Alencastro, nº 158 - Centro - CEP: 78005-906

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

ABAV EXPO 2018 Conecta

ABAV EXPO 2018 Conecta
Av. Olavo Fontoura, 1209 - Portão 1 - Santana, São Paulo - SP E-mail: visit@abavexpo.com.br

quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

"Fórum Permanente de Saúde convoca população para o Ato em Defesa do SUS"

A Central Única dos Trabalhadores de Mato Grosso (CUT MT), SINTEP/MT, SISMA e demais entidades que compõe o Fórum Permanente de Saúde de Mato Grosso, realizam atividade de lançamento do “Movimento em Defesa do SUS”, nesta terça-feira, dia 27 de fevereiro, às 13h, em frente à Assembleia Legislativa de Mato Grosso. De acordo com o presidente da CUT e membro do Conselho Estadual de Saúde de Mato Grosso (CES/MT) toda a população está convocada para comparecerem vestindo roupas pretas, para indicar o “Luto pela Saúde Pública”. O “Movimento em Defesa do SUS” tem por objetivo denunciar a situação caótica da Saúde Pública no Estado”, afirma. A ideia do Movimento em Defesa do SUS é unir forças para divulgar as ameaças que a saúde pública vem sofrendo como a péssima distribuição e atrasos nos repasses de recursos públicos, a falta de políticas públicas em Mato Grosso para o SUS, as péssimas condições de trabalho nas unidades de saúde, a falta de profissionais por causa dos 15 anos sem concurso, entre outras. O movimento é fruto dessa indignação, porque a saúde não é prioridade. Quem paga imposto e não vê retorno na política pública de saúde, que venha conosco", informa o secretário de Finanças da CUT/MT e representante do Sintep/MT no CES/MT, Orlando Francisco.
“Temos visitado as unidades de Saúde, tanto na capital e interior, e a falta de estrutura e precariedade tem se agravado cada vez mais. São obras inacabadas e com problemas estruturais nas unidades que carecem de manutenções e reformas imediatas. Os servidores têm buscado soluções para manter os atendimentos, usando muitas vezes recursos próprios, mas isso não é mais possível, pois falta tudo, de estrutura física, mobiliários, e especialmente material de expediente, medicamentos e insumos. A Saúde em Mato Grosso está na UTI!”, afirma o presidente do Sindicato dos Funcionários Público da Saúde e Meio Ambiente de Mato Grosso (SISMA), Oscarlino Alves.
Com informações Da Assessoria do SISMA e do Sintep/MT

Nenhum comentário:

Postar um comentário