Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

"Prefeitura de Cuiabá - Trabalhando e cuidando da gente"

Todos juntos contra a dengue

sexta-feira, 9 de março de 2018

"Vereador Orivaldo solicita obrigatoriedade do farmacêutico na dispensação de medicamentos na saúde pública"

Com o objetivo de otimizar a dispensação de medicamentos na rede pública de saúde de Cuiabá, o vereador Orivaldo da Farmácia (PRP) solicitou a secretária municipal de Saúde, Elizeth Araújo, que avaliasse a obrigatoriedade de farmacêuticos na entrega de medicamentos. A atuação deste profissional seria em todas as unidades de saúde onde ocorre a distribuição de medicamentos para pacientes do Sistema Único de Saúde. A solicitação ocorreu durante sessão da Câmara nesta quinta-feira (08).

De acordo com o vereador Orivaldo da Farmácia, atualmente, a dispensação dos medicamentos é realizada por outros profissionais lotados na unidade de saúde. “Estes profissionais atuam nesta função, mas o ideal seria que um farmacêutico administrasse este trabalho, uma vez que tem formação específica para esta atuação. Todos que hoje exercem este trabalho acabam atuando com outras responsabilidades que deveriam ser do farmacêutico”.
A secretária Elizeth Araújo afirmou que avaliará a solicitação apresentada, uma vez que a questão dos medicamentos é muito séria e deve ser administrada com responsabilidade. Na ocasião, a secretária esteve na Câmara de Cuiabá para esclarecer as iniciativas do executivo para resolver a carência de medicamentos na rede pública de saúde da capital.
Segundo o Conselho Federal de Farmácia, a compreensão e a aplicabilidade prática do conceito de assistência Farmacêutica são essenciais para o bom funcionamento do SUS. De acordo com a entidade, a simples garantia de acesso ao medicamento não assegura totalmente a melhora da saúde da população. Por isso, o conjunto de ações desenvolvido pelo farmacêutico, tendo o medicamento como insumo essencial, não se restringe a esse aspecto, mas envolve, também, a promoção do seu uso racional.
Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário