A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.

A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.
Av. Historiador Rubens de Mendonça, 2.368 - Sala 104 Bosque da Saúde - Cuiabá-MT - 78050-000 comercial@expovarejo.com.br | Fone: (65) 3057-5200

Iguá Saneamento

Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

ABAV EXPO 2018 Conecta

ABAV EXPO 2018 Conecta
Av. Olavo Fontoura, 1209 - Portão 1 - Santana, São Paulo - SP E-mail: visit@abavexpo.com.br

Greenpeace no Brasil

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

quarta-feira, 11 de abril de 2018

"Prisão de ex-presidente Lula causa protesto e debates no Plenário da Câmara"

No primeiro dia de votações após a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, deputados de oposição fizeram ato em defesa de Lula em Plenário, cobraram a criação de uma comissão externa para verificar as condições do cárcere, e declararam obstrução às votações.
Luis Macedo/Câmara dos Deputados
Deputados Pró-Lula protestam no plenário
Protesto da oposição durante sessão do Plenário da Câmara
O ex-presidente está preso em Curitiba para cumprir a pena por corrupção passiva e lavagem de dinheiro imposta pela Justiça Federal do Paraná no caso do tríplex do Guarujá. Lula tentou recorrer ao Supremo Tribunal Federal contra a prisão, mas foi derrotado. Ele se entregou à Polícia na noite de sábado após várias manifestações favoráveis ao ex-presidente no Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo. 

Sob gritos de “Lula Livre” e “Lula, guerreiro do povo brasileiro”, deputados da oposição entraram no Plenário da Câmara com faixas e cartazes contra a prisão de Lula. O ato teve participação do PT, Psol, PDT, PCdoB e outros parlamentares favoráveis ao ex-presidente. Alguns deputados reagiram ao protesto com gritos de “Lula ladrão”
Líder do PT, o deputado Paulo Pimenta (RS) chamou o ex-presidente de “preso político”. “Foi condenado em um processo sem provas e sem crimes e teve sua prisão autorizada de maneira ilegal”, disse. Pimenta destacou que ainda restavam recursos à defesa de Lula antes da determinação da prisão e disse que os deputados da oposição vão obstruir as votações em protesto.

O deputado Nelson Pellegrino (PT-BA) alertou para a prisão em ano eleitoral com o ex-presidente liderando as pesquisas de intenção de votos para a Presidência da República. “Lula é líder nas pesquisas, avançou nas pesquisas nos últimos dias. Por isso, não podemos aceitar essa prisão e a obstrução é o instrumento que temos para protestar”, afirmou. 

Já o deputado Sílvio Costa (Avante-PE) disse que deputados favoráveis à prisão do ex-presidente estão “aplaudindo um erro histórico”. Líder da Oposição, o deputado José Guimarães (PT-CE) destacou a mobilização feita entre sexta-feira e sábado no Sindicato dos Metalúrgicos. “Estamos com o sentimento mais vivo para lidar com a crise política”, disse. 

Ampla Defesa
O protesto dos deputados foi criticado por outros partidos. O deputado Domingos Sávio (PSDB-MG) disse que a manifestação é “baderna”. “Obstrução é direito, mas não pode fazer baderna”, disse.

Já o deputado Alberto Fraga (DEM-DF), relator da proposta que cria o Sistema Único de Segurança Pública (Susp), acusou os opositores de impedir o andamento de propostas de interesse do País. O Susp é um dos itens da pauta de votações da semana. “Fico estarrecido ao ver obstrução a um texto feito com quase 100% de consenso. Vamos votar a matéria e depois continuar com as manifestações”, disse Fraga.
O líder do PSDB, deputado Nilson Leitão (MT), reforçou que Lula teve acesso à ampla defesa no Judiciário, recorrendo para o Tribunal Regional Federal da 4ª Região; para o Superior Tribunal de Justiça; e para o Supremo Tribunal Federal. “Houve inquérito, Lula virou réu, foi julgado e recorreu com direito à ampla defesa. Não podemos aceitar que o PT diga que é uma prisão política, já que outros foram presos em segunda instância sem críticas de ninguém”, afirmou.
Reportagem - Carol Siqueira
Edição - Geórgia Moraes

Nenhum comentário:

Postar um comentário