A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.

A MAIOR FEIRA DE MATO GROSSO PARA SUPERMERCADOS, PADARIAS E HOTÉIS.
Av. Historiador Rubens de Mendonça, 2.368 - Sala 104 Bosque da Saúde - Cuiabá-MT - 78050-000 comercial@expovarejo.com.br | Fone: (65) 3057-5200

Iguá Saneamento

Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

Prefeitura de Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá
Praça Alencastro, nº 158 - Centro - CEP: 78005-906

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

ABAV EXPO 2018 Conecta

ABAV EXPO 2018 Conecta
Av. Olavo Fontoura, 1209 - Portão 1 - Santana, São Paulo - SP E-mail: visit@abavexpo.com.br

sexta-feira, 11 de maio de 2018

"Há Corais da Amazônia na Guiana Francesa"

Cientistas a bordo do navio Esperanza, do Greenpeace, capturaram imagens inéditas de um recife na costa da Guiana Francesa que, segundo eles, faz parte do recife conhecido como Corais da Amazônia. Até agora, só havia registros desse ecossistema na costa brasileira. As estruturas recifais foram encontradas a 95 a 120 metros de profundidade em duas áreas diferentes, a menos de 150 quilômetros de Caiena."Registramos imagens de alguns corais e espécies de peixes. Futuras análises nos dirão mais sobre a presença da pluma do rio Amazonas, sedimentos e microorganismos da região", afirmou Gizele Duarte Garcia, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro que participa da expedição.
Análises laboratoriais das amostras coletadas precisam ser realizadas, mas com base nas imagens, os cientistas estão confiantes que as estruturas recifais fazem parte dos Corais da Amazônia.
Esse ecossistema está ameaçado pelos planos da empresa francesa Total de explorar petróleo na região da foz do rio Amazonas. A Total aguarda a autorização do Ibama para iniciar suas operações. A empresa já está na sua quarta versão do Estudo de Impacto ambiental e ainda enfrenta dúvidas e pedidos de retificação pelo órgão ambiental.
"A revelação torna ainda mais importante proteger essas áreas da exploração de petróleo. Com as fortes correntes que existem no mar da região, um derramamento de óleo nas plataformas da Total situadas no Brasil poderia também atingir e danificar o recife na porção da Guiana Francesa. Isso poderia gerar uma crise internacional entre governos brasileiro e francês”, destaca Helena Spiritus, bióloga do Greenpeace Brasil.
"A descoberta reforça a tese do estudo que mostra evidências de que os Corais da Amazônia fazem parte de um grande bioma entre o Atlântico e Caribe. E, neste caso, o princípio da precaução deveria ser aplicado para evitar riscos a essa área", completa Helena.
O navio Esperanza, do Greenpeace, navegou nas últimas seis semanas em águas brasileiras e francesas para documentar os Corais da Amazônia e encontrou formações de estruturas recifais na região onde a Total planeja explorar petróleo, na costa brasileira. Poucos dias depois após a descoberta, o Ministério Público Federal do Estado do Amapá recomendou ao Ibama que negue a licença à empresa francesa. O Greenpeace pede à Total que cancele imediatamente seu projeto no Brasil.
Jéssika Oliveira/Caminho Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário