Águas Cuiabá - Iguá Saneamento

Águas Cuiabá - Iguá Saneamento
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé - CEP 78050-667 - Cuiabá-MT • Telefones: 0800 646 6115

ANUNCIE AQUI!

ANUNCIE AQUI!
SUA EMPRESA COM MAIS VISIBILIDADE E VENDA

Conecte na ALMT

AJUDE ESTA CAUSA

AJUDE ESTA CAUSA
SANTA CASA DE CUIABÁ | (65) 3051-1946

Prefeitura Municipal de Rondonópolis

Prefeitura Municipal de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411-3500

quarta-feira, 18 de julho de 2018

"ARTIGO: Leite, o nosso próximo desafio"

Mato Grosso é um gigante. A frase, que ganhou o mundo nos últimos anos e foi usada para mostrar a liderança do estado em diversos indicadores econômicos como a liderança global na produção de grãos, pode ser empregada no potencial existente para que outros setores do agronegócio atinjam o patamar mais alto. Um destes mercados é o da produção de leite, uma das atividades que mais gera empregos no país. Pensando no espaço de crescimento que existe em Mato Grosso, o Gabinete de Desenvolvimento Regional (GDR) iniciou, há algum tempo, um trabalho voltado para melhorar a produtividade do setor, mostrando que o Estado pode e deve ser o indutor do crescimento econômico, como forma de melhorar a vida de toda a população. Enquanto Mato Grosso conta com o maior rebanho bovino do mundo, é apenas o 10º estado brasileiro na produção de leite.
Com estes dados em mente, técnicos do GDR foram a campo mapear as condições em que o leite é produzido em Mato Grosso e identificaram gargalos semelhantes ao que se verifica em outras culturas. Falta assistência técnica aos produtores, que não conseguem implementar as tecnologias mais modernas na produção; falta qualificação da mão-de-obra, o que dificulta uma evolução; falta acesso a crédito em condições de colocar o produtor na vanguarda da produção leiteira; e faltam investimentos em infraestrutura e logística, atrapalhando o escoamento da produção.
Se olharmos para trás, as dificuldades enfrentadas pelos produtores de leite – com exceção da questão logística, que melhorou muito, mas pode avançar mais – são as mesmas superadas pelos sojicultores, pelos produtores de milho, algodão e - por que não? - pelos pecuaristas de Mato Grosso. O que tornou Mato Grosso um gigante em todas estas áreas foi a junção de diversos entes públicos e do setor privado, com investimentos em todos os aspectos da produção.
Melhorar a produção de leite terá efeitos benéficos não só para os produtores e para os consumidores, mas para Mato Grosso como um todo. Com uma produção maior, mais empregos serão gerados, em todas as etapas da cadeia produtiva, incluindo laticínios. Mais emprego representa mais renda e mais renda representa uma vida melhor da nossa gente.
As dificuldades foram mapeadas e diagnosticadas, a receita de sucesso existe e já foi experimentada por outros setores. O que resta, agora, é colocar em prática as ações elencadas pelo GDR para que, ao falarmos que Mato Grosso é um gigante, incluir também entre os líderes globais, os produtores de leite do estado.
Antônio Carlos Paz Administrador e ex-secretário do Gabinete de Desenvolvimento Regional de Mato Grosso

Nenhum comentário:

Postar um comentário