Prefeitura de Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá
Praça Alencastro, nº 158 - Centro - CEP: 78005-906

ABERT - Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão

ABERT -  Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão
SAF/SUL Qd 02 Bl D Sl 101 Ed.Via Esplanada (Atrás do Anexo do Ministério da Saúde) | Brasília - DF

ABAV EXPO 2018 Conecta

ABAV EXPO 2018 Conecta
Av. Olavo Fontoura, 1209 - Portão 1 - Santana, São Paulo - SP E-mail: visit@abavexpo.com.br

segunda-feira, 16 de julho de 2018

"Não podemos mais confiar na Casa Branca"

defaultMinistro do Exterior da Alemanha reage às declarações de Trump, que descreveu a UE como um "inimigo" dos EUA no comércio. Heiko Maas convoca uma Europa "unida e soberana" para preservar a parceria com Washington. Para o presidente americano, Donald Trump, a União Europeia (UE) é um "inimigo" dos EUA no comércio. O ataque verbal do republicano não caiu bem na Europa. Nesta segunda-feira (16/07), o ministro das Relações Exteriores da Alemanha, Heiko Maas, reagiu às declarações. "Não podemos mais confiar sem restrições na Casa Branca", disse o ministro, citado numa mensagem postada na conta oficial no Twitter do Ministério do Exterior alemão. Para preservar a parceria com Washington, esta precisaria ser reajustada e, segundo Maas, isso só é possível com uma "Europa unida, confiante e soberana".
Em entrevista aos jornais do grupo alemão Spark Media (que detém diversos diários regionais como o Berliner Morgenpost, o Hamburger Abendblatt e o Westdeutsche Allgemeine Zeitung), o ministro disse que a declaração do presidente dos EUA "infelizmente mostra mais uma vez o quão amplo ficou o abismo político transatlântico desde que Donald Trump assumiu o poder".
O ministro das Relações Exteriores de Luxemburgo, Jean Asselborn, também abriu mão da cortesia diplomática. "Não pode ser que, de repente, os chineses e os russos sejam concorrentes e que nós na Europa sejamos inimigos", disse Asselborn, num encontro com colegas da UE. "Algo não está correto – digamos – nas normas."
O ministro luxemburguês disse ainda torcer para que o ar fresco na rodada de golfe na Escócia tenha ajudado Trump a "ver com maior nitidez as categorias de inimigo e não inimigo".
"Eu perguntaria a ele quem ele considera um amigo", disse a chefe da diplomacia da União Europeia, Federica Mogherini. Da perspectiva europeia, os Estados Unidos "certamente" são um amigo íntimo e parceiro: "Já disse muitas vezes que uma mudança de governo não altera a amizade entre países e povos".
No fim de semana, Trump descreveu a União Europeua como um inimigo do comércio americano. "Acho que temos muitos inimigos. Quer dizer, a União Europeia é um inimigo, diante daquilo que ela faz conosco no comércio", escreveu. A palavra inglesa "foe" usada por Trump pode ser traduzida como "inimigo" ou "adversário".
O presidente do Conselho da UE, Donald Tusk, rapidamente rebateu o presidente americano. "Os EUA e a União Europeia são melhores amigos", escreveu Tusk no Twitter. "Quem diz que somos inimigos está espalhando notícias falsas."
PV/afp/ap/dpa/rtr/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário