SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

"Braço Forte do Campo da Cidade e da Forquilha do Manso! Vereador Tito da Forquilha 14.123"

"Braço Forte do Campo da Cidade e da Forquilha do Manso! Vereador Tito da Forquilha 14.123"
"Juntos Somos Mais Fortes

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

"China confirma 139 novas infecções por novo vírus"

Homens com roupa protetora branca empurram paciente em macaTotal de afetados por pneumonia ultrapassa 200. Doença se alastra para outras cidades chinesas. Pela primeira vez, é detectado um caso na Coreia do Sul, elevando para quatro o número de infectados fora da China. O surto da pneumonia causada por um novo tipo de coronavírus está se espalhando para mais cidades chinesas, com 139 novos casos confirmados neste fim de semana, disseram autoridades sanitárias nesta segunda-feira (20/01), elevando o total de afetados para mais de 200.
As autoridades em Wuhan, a metrópole central da China onde a pneumonia foi identificada pela primeira vez em dezembro, confirmou os novos casos, incluindo uma terceira morte.
Um caso foi revelado em Shenzhen, na província de Guangdong. Dois outros infectados foram relatados em Pequim. Os três pacientes tinham passado por Wuhan, segundo as autoridades de saúde.
Pela primeira vez, foi registrado um caso na Coreia do Sul. Uma mulher chinesa de Wuhan foi diagnosticada com o vírus, elevando para quatro o número de casos fora da China.Na Tailândia, foram registrados dois casos da doença e um no Japão. Estes três casos também envolvem pessoas que estiveram em Wuhan.
Os Estados Unidos e muitos países asiáticos já estão examinando viajantes vindos de Wuhan para detectar sintomas da doença.
Iniciado em dezembro, o surto da doença é causado por um novo tipo de coronavírus, semelhante ao da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), que matou quase 800 pessoas em todo o mundo, durante uma epidemia ocorrida entre os anos 2002 e 2003 e que também começou na China. Os sintomas são febre e cansaço, acompanhados de tosse seca e, em muitos casos, dificuldades respiratórias.
Os números oficiais têm sido encarados com desconfiança no exterior. Há temor de que o vírus tenha infectado centenas de pessoas a mais do que a cifra oficial, segundo cientistas do centro de pesquisas na Imperial College de Londres, que assessora instituições como a Organização Mundial da Saúde (OMS). Os especialistas apontaram em um estudo que 1.723 pessoas infectadas é uma cifra muito mais provável do que a anunciada.
Para chegar a esta conclusão, os pesquisadores usaram a quantidade de casos detectados até agora fora da China, para deduzir o provável número de pessoas infectadas em Wuhan, segundo dados de voos internacionais que saem daquela cidade.
O governo se preocupa ainda com a propagação da doença durante o feriado do Ano Novo chinês, que começa na próxima sexta-feira e vai até 18 de fevereiro, quando milhões de chineses devem viajar para suas cidades de origem ou para o exterior. O governo estima que 440 milhões deverão utilizar o transporte ferroviário e 79 milhões se deslocarão em aviões comerciais.
MD/rtr/dpa/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos