Prefeitura Municipal de Primavera do Leste / MT

Prefeitura Municipal de Primavera do Leste / MT
Esse ano a campanha visa arrecadar brinquedos e alimentos para doar aos carentes

Águas Cuiabá

Águas Cuiabá
Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé Av. Gonçalo Antunes de Barros, 3196 - Carumbé 78050-667 - Cuiabá / MT 0800 646 6115

CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

CÂMARA MUNICIPAL  DE CUIABÁ
Praça Moreira Cabral - Centro - s/n - Cuiabá-MT - Fone: (65) 3617-1500

Prefeitura de Tangará da Serra

Prefeitura de Tangará da Serra
Endereço: Avenida Brasil, 2351 - N, Jardim Europa 65 3311-4800

terça-feira, 7 de janeiro de 2020

"Japão emite mandado de prisão contra esposa de Ghosn"

Carole Ghosn e o marido Carlos Ghosn Carole Ghosn é acusada de prestar falso testemunho no processo contra o executivo. Há suspeita de que ela o tenha ajudado em sua surpreendente fuga para o Líbano. A Justiça do Japão emitiu nesta terça-feira (07/01) um mandado de prisão contra esposa de Carlos Ghosn, antigo presidente da Renault-Nissan. Carole Ghosn, de 53 anos, é acusada de prestar falso testemunho no processo de corrupção contra seu marido.
A ação contra Carole, que não está no Japão, ocorre na sequência da misteriosa fuga de seu marido para o Líbano há uma semana. Ghosn conseguiu driblar a vigilância policial após ser libertado sob fiança, enquanto aguardava julgamento sob a acusação de má conduta financeira. Segundo promotores, Carole teria mentido ao dizer que não conhecia ou encontrara pessoas ligadas a empresas que teriam sido usadas por seu marido para desviar dinheiro da montadora para uso pessoal.
Durante seu interrogatório em 2019, Carole negou tanto seu envolvimento nas irregularidades quanto conhecer um executivo indiano vinculado à operação, apesar de ter trocado mensagens com ele em várias ocasiões. A Promotoria a acusou de perjúrio, de acordo com uma declaração divulgada pela emissora japonesa NHK.
Autoridades suspeitam ainda que Carole teria ajudado o marido a fugir. Ao ser libertado sob condições, Ghosn foi proibido de se encontrar com a esposa, o que seria um dos motivos que o levaram a deixar o Japão.
Um porta-voz da família Ghosn afirmou que o mandado de prisão contra Carole é "patético" e anunciou uma coletiva de imprensa do ex-executivo na próxima quarta-feira em Beirute. Essa será sua primeira aparição diante dos jornalistas desde que foi preso pela primeira vez, em novembro de 2018.
Ghosn nega as acusações e alega ser vítima de um complô da Nissan e do governo japonês para evitar uma integração maior da montadora com a Renault. O Ministério da Justiça japonês busca uma brecha nas leis libanesas para conseguir a extradição do ex-executivo, a fim de que ele seja julgado no país. O Líbano e o Japão não possuem um tratado que possibilite esse tipo de deportação.
Carole liderou uma campanha para a libertação do marido, insistindo em sua inocência e criticando os promotores japoneses pelo que chamou de maus-tratos na prisão. Impedida de visitar o marido, ela apelou à Casa Branca e ao presidente francês, Emmanuel Macron, por apoio a sua soltura.
Antes de fugir para o Líbano em dezembro, onde se encontrou com a esposa, Ghosn aguardava julgamento em prisão domiciliar por acusações de fraude fiscal e má conduta financeira.
Ele foi preso na noite de 19 de novembro de 2018, ao desembarcar de um jatinho no aeroporto de Haneda, em Tóquio. Após mais de três meses, o executivo foi libertado mediante uma fiança equivalente a 8 milhões de dólares. Detido novamente quatro semanas depois, ele saiu da cadeia após 20 dias para cumprir prisão domiciliar em Tóquio.
Ghosn fugiu do Japão através do aeroporto de Osaka, aparentemente aproveitando uma brecha de segurança na revisão de grandes bagagens em terminais de aeronaves particulares.
A Nissan assegurou nesta terça-feira que a fuga de Ghosn não implicará o fim dos processos contra ele: "A empresa continuará a tomar as medidas legais apropriadas para responsabilizar Ghosn pelos danos causados por sua má conduta."
CN/rtr/efe/lusa/afp/ap/cp

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos