SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

sábado, 25 de julho de 2020

"Bolsonaro diz que testou negativo para covid-19"

ImageEm anúncio feito em redes sociais, presidente, porém, não informa quando realizou o exame. Esse teria sido o quarto teste feito por ele desde que contraiu o coronavírus no início do mês.O presidente Jair Bolsonaro afirmou neste sábado (25/07) que testou negativo para a covid-19. No anúncio, feito nas redes sociais, não há informação sobre quando o teste foi realizado. Esse teria sido o quarto exame feito pelo presidente desde que ele anunciou ter sido infectado, no início do mês. "RT-PCR para Sars-Cov 2: negativo. Bom dia a todos", escreveu Bolsonaro em mensagem publicada no Twitter junto com uma fotografia na qual aparece segurando uma caixa de hidroxicloroquina, um medicamento que não tem efeito comprovado contra a covid-19. Neste sábado, após o anúncio, Bolsonaro saiu para passear de moto e, segundo a TV Globo, foi visto numa loja sem máscara, apesar do decreto do Distrito Federal que obriga o uso da proteção em locais públicos.
Bolsonaro anunciou ter contraído coronavírus em 7 de julho. Desde então, só participa de compromissos oficiais por videoconferência e diz que só se reúne com auxiliares que já foram infectados.
O anúncio de que Bolsonaro tem covid-19 foi recebido com escárnio por parte da população brasileira e chamou grande atenção da imprensa europeia, que destacou a postura negacionista do presidente em relação à gravidade da pandemia, sua inércia para conter o avanço da doença e o desrespeito às medidas de proteção.
Com frequência, Bolsonaro afirmou que se tratava com a hidroxicloroquina. Enquanto o presidente insiste na eficácia do remédio, autoridades de saúde em todo o mundo alertam contra a sua utilização para tratar a covid-19.
No último domingo, diante de um grupo de apoiadores nas proximidades do Planalto, Bolsonaro chegou a erguer uma caixa do remédio e acenar com ela para os presentes.
Os ministros da Cidadania, Onyx Lorenzoni, e da Educação, Milton Ribeiro, também anunciaram nesta semana que testaram positivo para covid-19.
Nos últimos meses, em diversas ocasiões, o presidente contrariou recomendações e desafiou medidas impostas para evitar aglomerações ao realizar passeios pelo comércio, participando de atos com apoiadores e abraçando e cumprimentando pessoas, inclusive na quinta-feira, quando ainda estava infectado.
O presidente vem tentando minimizar o impacto da doença desde que o coronavírus chegou ao país, tendo se referido à covid-19 como uma "gripezinha". Ele ignorou várias vezes as recomendações da Organização Mundial de saúde (OMS) ao participar de manifestações organizadas por seus simpatizantes e provocar aglomerações, muitas vezes entrando em contato direto com seus apoiadores. Durante muito tempo, ele evitou utilizar a máscara de proteção.
O Brasil já superou a marca de 85 mil mortos pela doença, com mais de 2,3 milhões de casos registrados. Entretanto, diversas autoridades e instituições de saúde em todo o país alertam que os números reais do novo coronavírus devem ser ainda maiores em razão da falta de testes em larga escala e da subnotificação.
CN/ots/cp
Caminho Politico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos