SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

"Braço Forte do Campo da Cidade e da Forquilha do Manso! Vereador Tito da Forquilha 14.123"

"Braço Forte do Campo da Cidade e da Forquilha do Manso! Vereador Tito da Forquilha 14.123"
"Juntos Somos Mais Fortes

sábado, 4 de julho de 2020

"CADEIA: Lava Jato denuncia José Serra por lavagem de dinheiro"

Senador José SerraMinistério Público Federal acusa senador de ter recebido pagamentos indevidos da Odebrecht através de contas no exterior. Verônica Serra, filha do político, também é denunciada. A força-tarefa da Operação Lava-Jato em São Paulo denunciou nesta sexta-feira (03/07) o senador e ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e sua filha, Verônica Allende Serra, por lavagem de dinheiro transnacional. Em paralelo, a Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Revoada, com a realização de buscas em endereços ligados ao político.
Com autorização da Justiça Federal, oito mandados de busca e apreensão foram cumpridos em São Paulo e no Rio de Janeiro.
De acordo com a denúncia, Serra usou a influência política de seus cargos públicos entre 2006 e 2007 para receber da Odebrecht pagamentos indevidos em troca de benefícios relacionados às obras do Rodoanel Sul. Foram cometidos crimes até 2014, afirmam os procuradores.
Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a Odebrecht pagou milhões de reais através de uma rede de empresas no exterior, para que o real beneficiário dos valores não fosse detectado pelos órgãos de controle.
Ainda de acordo com as investigações, o empresário José Amaro Pinto Ramos e Verônica Serra constituíram empresas no exterior, ocultando seus nomes, e por meio delas receberam os pagamentos que a Odebrecht destinou ao então governador paulista. Serra foi prefeito de São Paulo de 2005 a 2006 e governador de São Paulo de 2007 a 2010. Ramos é citado como responsável pela realização das transferências, mas não foi denunciado pelo MPF.
"Neste contexto, realizaram numerosas transferências para dissimular a origem dos valores, e os mantiveram em uma conta de offshore controlada, de maneira oculta, por Verônica Serra até o final de 2014, quando foram transferidos para outra conta de titularidade oculta, na Suíça", diz a denúncia.
Com as provas recolhidas até ao momento, os procuradores obtiveram autorização na Justiça Federal para o bloqueio de cerca de R$ 40 milhões (6,6 milhões de euros) depositados numa conta na Suíça.
Além de endereços ligados a Serra, a PF cumpriu mandados no bairro da Vila Nova Conceição, na Zona Sul de São Paulo. O alvo da operação no endereço é o empresário Ronaldo Cesar Coelho, que foi também tesoureiro do PSDB.
MD/lusa/efe/ots/cp
Caminho Politico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos