TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19

TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

MPF em Cuiabá

MPF em Cuiabá
Av. Miguel Sutil, nº 1.120, Esquina Rua J. Márcio (R. Nestelaus Devuisky) Bairro Jardim Primavera

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

sexta-feira, 7 de agosto de 2020

"Audiência cobra melhor atendimento aos indígenas durante pandemia"

Covid-19 já fez dezenas de vítimas nas aldeias. Entre eles, o líder Aritana. Audiência realizada nesta quinta-feira (06.08) da comissão do Congresso Nacional que fiscaliza as ações de combate ao coronavírus cobrou do governo federal o cumprimento das decisões referendadas, nesta semana, pelo plenário do Supremo Tribunal Federal no tocante à situação das aldeias indígenas. A situação é considerada grave já que os povos indígenas foram fortemente atingidos pela covid-19 causando dezenas de óbitos e milhares de contaminados.
A decisão do STF acatou ação movida pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) e seis partidos de oposição ao governo e obrigou a União a manter barreiras sanitárias para impedir que a doença se espalhe em 31 terras indígenas.
O senador Wellington Fagundes (PL-MT), autor do requerimento da audiência, citou o caso da região do Araguaia, onde vivem cerca de 22 mil indígenas da etnia Xavante e onde se registra alta incidência da doença. O caso já foi levado ao conhecimento do Ministério da Saúde, Casa Civil e Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos e, há uma semana, uma força tarefa vem prestando assistência em saúde às aldeias da região.
Segundo o senador, a força tarefa tem dado bons resultados, mas voltou a cobrar a implantação de um hospital de campanha não apenas como medida imediata, mas permanente para atender os indígenas da região.
Ao questionar o atendimento que vem sendo dado aos indígenas, o senador lembrou do líder Aritana, que faleceu nesta quarta-feira (05/08) após ficar 14 dias numa UTI em Goiânia, como consequência do covid-19, e do ex-deputado federal Mário Juruna.
Em resposta, a Secretaria de Saúde Indígena (Sesai), ligada ao Ministério da Saúde, garantiu que já está se mobilizando para fortalecer as barreiras sanitárias de proteção de aldeias indígenas e busca se mobilizar para cumprir a decisão do STF. ‘Decisão do STF não se discute, se cumpre. Devemos adquirir ainda mais EPIs [Equipamentos de Proteção Individual], insumos e deslocar corpo técnico para fortalecermos as barreiras sanitárias — disse Robson Santos, secretário da Sesai.
João Rosa, diretor de Promoção ao Desenvolvimento Sustentável da Funai, citou a distribuição de cestas básicas, incremento à produção de alimentos nas aldeias para garantir a segurança alimentar, entrega de equipamentos de pesca, a produção de EPI nas próprias comunidades indígenas, controle e barreiras de acesso às aldeias (260 instaladas para desinfecção de veículos e orientação dos indígenas) e o acesso ao auxílio emergencial do governo federal por 120 mil indígenas.
Ele garantiu ao senador Wellington Fagundes que não há nenhuma restrição orçamentária no órgão para o atendimento aos povos indígenas. “A Funai tem programas permanentes de atendimento à saúde indígena que devem continuar mesmo após a pandemia”, disse.
O senador Confúcio Moura (MDB-RO), que preside a comissão no Senado, enalteceu o trabalho do Senador Wellington em defesa da causa indígena durante a pandemia e afirmou que a atual situação evidenciou o desrespeito com que os povos indígenas são tratados no país. Na opinião dele, a violência praticada contra os índios fica visível quando se trata de saúde, das terras onde vivem e da educação que lhes é ofertada. A falta de sequência em projetos voltados a eles também mostra a falta de respeito, acrescentou o senador.
A reunião da comissão também ouviu representantes do Ministério da Justiça e da Secretaria de Orçamento.
Da assessoria/Caminho Político

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos