TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19

TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

MPF em Cuiabá

MPF em Cuiabá
Av. Miguel Sutil, nº 1.120, Esquina Rua J. Márcio (R. Nestelaus Devuisky) Bairro Jardim Primavera

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

quarta-feira, 21 de outubro de 2020

"Mujica renuncia ao cargo de senador"

Pandemia impulsiona decisão de ex-presidente do Uruguai, de 85 anos, que sofre de doença autoimune. Mujica diz que pretende continuar atuando na política, mas não mais na "primeira fila".O ex-presidente do Uruguai José "Pepe" Mujica (2010-2015), importante figura da esquerda latino-americana, anunciou nesta terça-feira (20/10) sua renúncia ao Senado, marcando assim sua aposentadoria em cargos públicos. Mujica, de 85 anos, porém, disse que pretende continuar atuando na política.
A decisão de renunciar ao Senado foi impulsionada pela pandemia de covid-19. Eleito deputado pela primeira vez em 1995, o ex-presidente sofre de uma doença autoimune. "Isto não significa o abandono da política, mas sim o abandono da primeira fila, por entender que um dirigente é aquele que dá vantagem às pessoas que o superam. Vou agradecido, com muitas recordações e profunda nostalgia. A pandemia me derrubou", disse Mujica, em seu discurso de despedida.
Mujica deixou ainda uma mensagem aos jovens. "Triunfar na vida não é ganhar. É levantar e recomeçar cada vez que se cai", destacou. "Tenho uma boa quantidade de defeitos. Sou passional, mas no meu jardim, há décadas, não cultivo o ódio, porque aprendi uma dura lição que a vida me impôs, o ódio termina tornando estúpido, nos faz perder a objetividade", acrescentou.
Ex-guerrilheiro e considerado um orador espontâneo, sem "papas na língua" e muitas vezes polêmico, Mujica se tornou famoso em todo o mundo pelas medidas progressivas adotadas no Uruguai durante seu governo, como a legalização do aborto, do casamento entre pessoas do mesmo sexo e da maconha.
Mujica também doou quase todas as suas remunerações a um programa de habitação social, ganhando o apelido de "o presidente mais pobre do mundo".
Nascido em 1935, nos arredores de Montevidéu, Mujica foi nos anos 1960 um dos fundadores do Movimento de Liberação Nacional Tupamaros, um grupo urbano de guerrilha de extrema-esquerda, que operou antes e durante a ditadura civil-militar no Uruguai (1973-1985).
Ele foi preso várias vezes durante a ditadura. Além de ter ficado na solitária, também foi torturado. Em 1994, foi eleito deputado, e, em 1999, senador.
Antes de se tornar presidente, ocupou o cargo de ministro da Agricultura entre 2005 e 2008, quando valorizou suas raízes camponesas a tal ponto de se oferecer para organizar seus conselhos ministeriais na sua pequena fazenda, onde continuou a cultivar flores.
Além de Mujica, o ex-presidente Julio Maria Sanguinetti (1985-1990 e 1995-2000), de 84 anos, também apresentou nesta terça-feira a sua renúncia ao Senado.
CN/efe/lusa/afp/cp
@caminhopolitico #caminhopolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos