SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI

A STELMAT visa o fortalecimento dos negócios em governança de TI
Av. Isaac Póvoas, 927, Bairro Goiabeiras

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

sábado, 31 de outubro de 2020

"VIOLÊNCIA NAS ELEIÇÕES: Candidata a vereadora é agredida e coligação irá pedir ajuda à Justiça Eleitoral"

Ocorrência foi registrada em Lucas do Rio Verde, onde outros casos de intimidação chegaram ao conhecimento da coligação “Gente que faz”.
Após uma vereadora ser agredida fisicamente por conta de seu posicionamento político, a coligação “Gente que Faz”, umas das concorrentes à prefeitura de Lucas do Rio Verde, irá protocolar um ofício na Justiça Eleitoral, pedindo mais segurança aos candidatos da chapa. Já haviam relatos de ameaças verbais e intimidações, porém, dessa vez, os criminosos foram além e bateram no rosto da mulher, que registrou tudo em um Boletim de Ocorrência.
Conforme a vítima, ela trabalha em uma empresa e seu turno começa às quatro horas da manhã. Por este motivo, a candidata sai muito cedo de casa, quando ainda está escuro.
Na segunda-feira (26), quando fazia o trajeto diário, dirigindo um moto modelo Biz, foi abordada por dois homens em uma motocicleta. Eles a mandaram descer do veículo, olhando para baixo.
Em seguida, pediram para ela tirar o capacete e começaram a gritar “Você ainda quer ficar desse lado? Você ainda é 23?”
“Estava muito escuro e eu não consegui ver o rosto deles. Fiquei com medo de levantar a cabeça porque estava sozinha em um lugar isolado e escuro”, relata.
Depois das ameaças, um dos criminosos deu um tapa no rosto dela e argumentou que ela estava tentando levantar a cabeça para reconhecê-los.
Após os criminosos irem embora, a vítima teve condições de pegar a moto dela e ir para casa. Logo após, procurou o comitê, onde foi orientada pelos advogados a fazer o registro da ocorrência.
Segundo a candidata, esta foi a segunda abordagem em menos de uma semana. A primeira foi quando ela estava voltando para casa, após passar no mercado.
Naquela ocasião, não houve o registro da ocorrência.
“Eu ainda sinto meu rosto queimando. E, a dor é ainda maior porque a minha bandeira de luta é o combate à violência conta a mulher”, desabafa.
Para tentar garantir a segurança dela, integrantes dos partidos que compõem a chapa, que tem como candidato Miguel Vaz, vão se revezar a levando ao trabalho até o final do processo eleitoral.
Assessoria

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos