PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

CRECI-MT

sexta-feira, 11 de dezembro de 2020

Estatuto do Pantanal começa a tramitar no Senado como ‘norma geral de proteção’

Projeto do senador Wellington Fagundes pretende suprir a inexistência de um marco normativo federal e possibilitar maior segurança jurídica nas ações.
Começou a tramitar no Senado Federal o projeto de lei 5482/2020 – já conhecido como o Estatuto do Pantanal. A proposta do senador Wellington Fagundes, que presidiu a Comissão Temporária Externa destinada a acompanhar as ações de enfrentamento aos incêndios detectados no bioma e seus desdobramentos, visa instituir norma geral de proteção para a região. A proposta pretende suprir a inexistência de um marco normativo federal.
“Está claro que se faz necessária uma legislação específica de proteção ao Pantanal – enfatizou o senador. Segundo ele, ao regular conservação, proteção, restauração e exploração sustentável do bioma, o Estatuto possibilitará maior segurança jurídica e ações integradas e coordenadas pelos estados abrangidos pela maior planície alagada do planeta.
O projeto do Estatuto do Pantanal foi apresentado um dia após a Comissão Especial Temporária concluir seus trabalhos e propor a criação de um Fundo do Pantanal, constituído por doações nacionais e internacionais e gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Os senadores também propuseram a implantação de um selo de certificação de qualidade de produtos originários do Pantanal.
O Estatuto contempla objetivos, princípios e diretrizes gerais para promover o desenvolvimento sustentável da região, com ênfase nas características do bioma e nos anseios do povo pantaneiro. Os 34 dispositivos, segundo ele, incorporaram os resultados dos inúmeros debates promovidos pela CTE, cuja vigência permitiu ampla discussão e sugestões.
Além das contribuições parlamentares e participantes das audiências públicas, foram acolhidas diversas propostas encaminhadas por entidades da sociedade civil, universidades, instituições de pesquisa, setores econômicos envolvidos e por representantes do Poder Executivo federal e estadual.
“No momento em que o bioma Pantanal adquire rara visibilidade nacional e internacional, ainda que em razão de uma tragédia sem precedentes, temos a convicção de que essa proposta poderá desencadear importantes discussões que promovam o entendimento do Congresso Nacional e da sociedade brasileira sobre a conservação, a proteção, a restauração e a exploração sustentável desse bioma, razão pela qual contamos com o apoio de nossos Pares para vê-la aprovada” - acrescentou.
DESASTRE AMBIENTAL
Com significativa importância cultural, social, econômica e ecológica ao Brasil e ao mundo, o bioma Pantanal sofreu com os incêndios florestais, resultando em grave desastre ambiental para um dos biomas mais preservados do País. De acordo com o senador, a quantidade de focos “são resultado de uma rara e perversa combinação de fatores”.
Nos primeiros sete meses deste ano, o principal rio do Pantanal atingiu o menor nível em quase cinco décadas devido à estiagem. A vegetação e a biomassa sensível às queimadas ficaram expostas e foram observadas altas temperaturas e ventos fortes. Houve crescimento do desmatamento e os incêndios se alastraram. Por outro lado, a fiscalização por parte do poder público diminuiu, segundo entidades que atuam na conservação da área. Soma-se a esses fatores uma atuação tardia em ações preventivas e de combate aos incêndios.
ESTRUTURA INEFICIENTE
A devastação do Pantanal pelo fogo também revelou a estrutura insuficiente de combate ao incêndio na região. De acordo com o senador, apesar das dificuldades, os estragos “foram menores pela incessante e incansável atuação de brigadistas qualificados e voluntários”.
Para o senador do PL, a união e a cooperação entre a sociedade civil, os pantaneiros e o poder público “demonstraram o seu heroísmo frente a uma das maiores tragédias já ocorridas na região”. Fagundes classificou como “importante papel dos voluntários, médicos veterinários, nas ações de resgate e tratamento de animais feridos pelas queimadas”.
Assessoria/Caminho Político
Foto: Agência Senado
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos