SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19

SENADO FEDERAL CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS

TRANSPARÊNCIA CORONAVÍRUS
Praça Alencastro, nº 158 - Centro

sábado, 26 de dezembro de 2020

Morre lendário agente duplo George Blake

Ex-espião ficou famoso na Guerra Fria ao entregar à KGB o nome de centenas de agentes ocidentais. Ele morreu aos 98 anos na Rússia, onde vivia desde a fuga de uma prisão britânica. George Blake, lendário espião britânico que trabalhou como agente duplo para a União Soviética, morreu na Rússia aos 98 anos, informaram neste sábado (26/12) as agências de notícias russas.
Como agente do serviço de inteligência britânico MI6, Blake denunciou centenas de agentes ocidentais para a soviética KGB na década de 1950. Seu caso se tornou um dos mais notórios durante a Guerra Fria.
Nascido em Rotterdam, na Holanda, em 1922, Blake juntou-se à resistência holandesa na Segunda Guerra Mundial antes de fugir para o Reino Unido em janeiro de 1943. Depois de servir na Marinha britânica, ele ingressou no MI6 em 1944.
Depois de servir três anos em Hamburgo, ele foi enviado à Coreia para coletar informações sobre a comunista Coreia do Norte, a China comunista e o Extremo Oriente soviético. Ele foi capturado e preso em 1950, quando soldados norte-coreanos capturaram Seul durante a Guerra da Coreia.
Ele retornou ao Reino Unido em 1953 após sua libertação e foi enviado para Berlim Oriental dois anos depois. Blake coletou informações sobre espiões soviéticos, mas também passou segredos para Moscou sobre as operações britânicas e americanas.
Denunciado na década de 60
Blake foi denunciado como agente duplo em 1961 e condenado a 42 anos de prisão. Ele escapou da prisão cinco anos depois usando uma escada feita de cordas e com a ajuda de três companheiros de cela, fugindo para a União Soviética, onde viveria pelo resto da vida.
Blake, que atendia pelo nome russo de Georgy Ivanovich, foi premiado com o posto de coronel pelo serviço de inteligência russo, do qual recebia uma aposentadoria. O presidente russo, Vladimir Putin, ele próprio ex-agente da KGB, concedeu-lhe uma medalha em 2007.
Putin expressou suas "profundas condolências" à família e aos amigos de Blake. "A memória dessa pessoa lendária será preservada para sempre em nossos corações", escreveu o líder russo em uma mensagem de condolências no site do Kremlin.
MD/afp/rtr/cp
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos