Instec Instituto de Tecnologia Educação e Comunicação

Instec Instituto de Tecnologia Educação e Comunicação
Av. Rui Barbosa, S/N- Jardim Universitrio, Cuiabá - Mato Grosso. As informações de contato se encontram no (65) 99293-3962

Vereador Didimo Rodrigues Vovó

Vereador Didimo Rodrigues Vovó
Trabalhar por uma Cuiabá melhor

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

Senado Federal

Senado Federal
Para saber mais sobre essa unificação, clique aqui.

segunda-feira, 1 de março de 2021

Câmara recebe projeto que prevê punições a quem descumprir medidas de biossegurança

A Câmara
Municipal de Cuiabá recebeu, nesta segunda-feira (01°), o Projeto de Lei do Executivo municipal que dispõe penalidades administrativas à pessoas físicas e comerciantes que infringirem quaisquer medidas de biossegurança contra a covid-19. A propositura foi entregue pelo secretário de Governo, Luis Cláudio, acompanhado pelo líder e vice-líder do Executivo, Marcrean Santos e Kássio Coelho, respectivamente, ao presidente do Legislativo, Juca do Guaraná Filho.
Juca comunicou que vai propor a inserção da propositura na pauta da próxima sessão ordinária, prevista para próxima quinta-feira (04), em regime de urgência especial, conforme proposto pelo prefeito Emanuel Pinheiro.
“O bom comerciante não será penalizado, pois vai estar tomando todas as medidas de biossegurança. O prefeito já falou que é contra o lockdown, mas as medidas têm que ser observadas, em razão da gravidade da situação", disse o presidente da Câmara.
O secretário Luis Cláudio comentou que o projeto foi necessário porque a cidade não dispunha de lei que punisse quem descumprisse as medidas adotadas pelo município. Depois que esta lei for publicada, Cuiabá poderá aplicar desde advertências até multas que vão de R$ 3 mil a R$ 60 mil, chegando, inclusive, à suspensão do alvará de funcionamento por 90 dias.
Luis Cláudio asseverou que “a partir desta lei, vai ser tolerância zero, porque o combate ao vírus exige ações rápidas”, porém ele ressalta que o comerciante, porventura multado, poderá converter “sua pecúnia em cestas básicas às pessoas carentes”. Originalmente, pelo projeto, os valores provenientes das multas serão destinados ao custeio de ações das pastas da Saúde e da Assistência Social.
Assessoria/Caminho Político
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos