PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

segunda-feira, 1 de março de 2021

Câmara recebe projeto que prevê punições a quem descumprir medidas de biossegurança

A Câmara
Municipal de Cuiabá recebeu, nesta segunda-feira (01°), o Projeto de Lei do Executivo municipal que dispõe penalidades administrativas à pessoas físicas e comerciantes que infringirem quaisquer medidas de biossegurança contra a covid-19. A propositura foi entregue pelo secretário de Governo, Luis Cláudio, acompanhado pelo líder e vice-líder do Executivo, Marcrean Santos e Kássio Coelho, respectivamente, ao presidente do Legislativo, Juca do Guaraná Filho.
Juca comunicou que vai propor a inserção da propositura na pauta da próxima sessão ordinária, prevista para próxima quinta-feira (04), em regime de urgência especial, conforme proposto pelo prefeito Emanuel Pinheiro.
“O bom comerciante não será penalizado, pois vai estar tomando todas as medidas de biossegurança. O prefeito já falou que é contra o lockdown, mas as medidas têm que ser observadas, em razão da gravidade da situação", disse o presidente da Câmara.
O secretário Luis Cláudio comentou que o projeto foi necessário porque a cidade não dispunha de lei que punisse quem descumprisse as medidas adotadas pelo município. Depois que esta lei for publicada, Cuiabá poderá aplicar desde advertências até multas que vão de R$ 3 mil a R$ 60 mil, chegando, inclusive, à suspensão do alvará de funcionamento por 90 dias.
Luis Cláudio asseverou que “a partir desta lei, vai ser tolerância zero, porque o combate ao vírus exige ações rápidas”, porém ele ressalta que o comerciante, porventura multado, poderá converter “sua pecúnia em cestas básicas às pessoas carentes”. Originalmente, pelo projeto, os valores provenientes das multas serão destinados ao custeio de ações das pastas da Saúde e da Assistência Social.
Assessoria/Caminho Político
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos