TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19

TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

MPF em Cuiabá

MPF em Cuiabá
Av. Miguel Sutil, nº 1.120, Esquina Rua J. Márcio (R. Nestelaus Devuisky) Bairro Jardim Primavera

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

sábado, 27 de março de 2021

Meio Ambiente rejeita sistema de segurança de visitantes em unidades de conservação

Para o relator, empresas localizadas nas unidades de conservação são as prestadoras de serviços turísticos.
A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável rejeitou na quinta-feira (25) o Projeto de Lei 9998/18, do deputado Mário Heringer (PDT-MG), que altera o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) para criar regras de gestão de segurança em unidades de conservação ambiental.Segundo autor, o objetivo, até então não previsto na lei, é garantir a segurança do visitante de parques abertos à visitação pública. O texto obriga unidades de conservação ambiental a disporem do sistema de gestão de segurança, elaborado de acordo com normas técnicas, e altera a Política Nacional do Turismo para incluir a segurança do turista como diretriz. Relator no colegiado, o deputado Rodrigo Agostinho (PSB-SP) discorda. Para ele, classificar unidades de conservação abertas à visitação como prestadoras de serviços turísticos reflete uma compreensão equivocada da natureza e do papel das unidades de conservação.
“Unidades de conservação como os Parques Nacionais oferecem os meios para desenvolvimento de atividades de visitação em contato com a natureza, mas não constituem, de modo algum, prestadores de serviços turísticos, nos moldes da Lei da Política Nacional do Turismo”, diz o relator.
Segundo Agostinho, "o que pode e deve ser cadastrado como prestador de serviço turístico em uma unidade de conservação aberta à visitação são as empresas listadas na lei eventualmente localizadas dentro dessas unidades, como hotéis e restaurantes, e não a unidade de conservação em si”.
Tramitação
O projeto será ainda analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Depois, por ter recebido pareceres divergentes nas comissões permanentes – foi aprovado pela Comissão de Turismo – , seguirá para análise e votação em Plenário.
Reportagem – Murilo Souza 

Edição – Cláudia Lemos
Foto: Cleia Viana
Caminho Político
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos