TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19

TODOS JUNTOS CONTRA A COVID-19
Acompanhe os números de evolução da doença pelo painel do Ministério da Saúde

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

MPF em Cuiabá

MPF em Cuiabá
Av. Miguel Sutil, nº 1.120, Esquina Rua J. Márcio (R. Nestelaus Devuisky) Bairro Jardim Primavera

sexta-feira, 5 de março de 2021

Povo Umutina realiza seminário para desenvolver turismo sustentável em seu território

Atividades acontecem com apoio da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso.
A comunidade Umutina-Balatiponé, de Barra do Bugres, Mato Grosso, realiza o seminário “Turismo Umutina, para onde vamos?” de 6 a 9 de março com o apoio da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso (Secel), após aprovação do projeto no edital MT Nascente. De acordo com Isaac Amajunepá, coordenador-proponente do projeto, o objetivo é realizar a organização e experimentação da rota de vivência no território Umutina, que irá ampliar a geração de renda a partir do turismo cultural/patrimonial e ecológico na comunidade.
Ainda segundo o jovem, a comunidade já recebe anualmente grupos escolares, turistas individuais e pesquisadores, mas não mantém um projeto para usufruir dos benefícios que esta atividade econômica pode proporcionar.
“Com a Lei Aldir Blanc enxergamos a possibilidade de organizar e pensar numa estratégia de desenvolvimento de um turismo consciente e ético para a nossa comunidade, assim como na manutenção das famílias da comunidade”, afirmou Isaac.
Além da beleza natural do território, a Aldeia Central também mantém as casas históricas construídas por Marechal Cândido Rondon, na sua expedição telegráfica, que podem ser locais abertos para visitação.
Outro ponto forte do povo Umutina-Balatiponé é a transmissão de conteúdo de forma oral, que também deve ser aproveitado através da contação de histórias sobre o contato com a sociedade não indígena e todas as mazelas que vivenciaram. Além de relatar como fizeram para manter todo o conhecimento que restou do contato: as danças, cantos, pinturas e artes.
Nesse sentido, a ideia é mostrar aos visitantes como esse movimento de resistência está ligado ao território e poder levá-los também a conhecer a região através de trilhas e banhos nos riachos e rios.
Primeira visitação
Conforme Isaac, além do projeto garantir a capacitação e planejamento do plano de visitação, também irá proporcionar que um grupo possa participar da vivência na Aldeia Umutina, que será realizada até o final de março.
Assessoria/Caminho político
@CaminhoPolitico

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos