PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS
PLATAFORMA EAD DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO Cuiabá - MT.

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

terça-feira, 27 de abril de 2021

Medeiros vai convocar Aneel para explicar reajuste da energia elétrica e não descarta CPI

Após o aumento de 7,29% na conta de energia elétrica em Mato Grosso, autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) no último dia 22 de abril, o deputado federal José Medeiros (Podemos) pretende convocar a diretoria da agência para explicar o reajuste em meio à crise sanitária e econômica que Mato Grosso e o país enfrentam em função da pandemia do novo coronavírus.
”A população de Mato Grosso está sofrendo com a alta tarifa de energia elétrica. O valor cobrado é abusivo e prejudica a população, como também os pequenos comerciantes que estão enfrentando uma crise sem precedentes em função da pandemia. Por isso, vamos convocar a diretoria da Aneel para explicar esses aumentos abusivos. A convocação também será estendida a diretoria da Energisa em Mato Grosso”, declara Medeiros.
Além de criticar o reajuste, o parlamentar afirma que a atuação das agências reguladoras no país, em especial a Aneel, é questionável e precisa ser reavaliada e até mesmo investigada, uma vez que em muitos casos elas atuam em defesa das empresas.
“O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi o primeiro a criticar a atuação das agências. Ele afirmou recentemente que algumas decisões da Aneel não interessam o povo brasileiro. Isso retrata a realidade uma vez que a agência autorizou, no momento de crise, o aumento da energia. As agências são autônomas, mas não soberanas. Interessante é que a Aneel é tão preocupada com o equilíbrio econômico e financeiro das empresas, mas tão despreocupada com o equilíbrio financeiro dos usuários e com a qualidade da prestação de serviços das concessionárias. Ela [Aneel] está preocupada com o bem do setor elétrico, mas indiferente às demandas dos usuários. Podemos chamar isso de equilíbrio?”, dispara o deputado, que é vice-líder do governo Bolsonaro na Câmara Federal.
Medeiros e o deputado federal Léo Moraes (Pode-RO) trabalham para instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a prestação de serviços da Energisa em Mato Grosso e nos demais estados atendidos pela concessionária. “O valor da energia é alto e a Energisa presta um serviço mal e porcamente. Não é à toa que ela lidera o ranking de reclamações do Procon de Mato Grosso”.
ICMS
Outra questão levantada por Medeiros é a urgente necessidade de reduzir a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre a energia elétrica no estado. “A alíquota vigente é de quase 30%, isso é um absurdo com o consumidor, principalmente o residencial. Apelo ao governo, nesse momento de crise, reduzir de forma gradativa o ICMS sobre a energia. Nesse momento de pandemia é preciso que todos se sacrifiquem. O governo do Estado pode e deve abrir mão dessa receita para ajudar o cidadão. O estado não é para gerar lucros ou acumular riquezas. Ele existe para servir o cidadão. A redução do ICMS sobre a energia é uma necessidade urgente, é questão de humanidade”, comenta o deputado federal do Podemos.
Em março de 2020, no início da pandemia em Mato Grosso, o Medeiros solicitou ao governador Mauro Mendes (DEM) a isenção de impostos estaduais que incidem sobre a energia, água e gás, pelo menos no período excepcional de combate ao vírus. “Infelizmente o governador não atendeu meu pedido. É importante lembrar que todo mundo precisa dar sua cota de sacrifício. Ninguém mais que o Poder Público precisa entender isso como seu dever. Esperamos que o governador tenha essa sensibilidade. Nenhuma outra obrigação financeira está acima de proteger a vida das pessoas”, finaliza Medeiros.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos