PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

terça-feira, 4 de maio de 2021

Mulheres que constroem Mato Grosso: prêmio Ruth Marques

Você consegue citar de imediato o nome de dez mulheres que tiveram (e/ou têm) um papel fundamental na construção de Mato Grosso? Apesar de parecer simples, essa pergunta nem sempre é acompanhada por uma resposta na mesma velocidade. Não à toa, o prêmio estadual Ruth Marques Corrêa da Costa vem – mais uma vez – para ecoar as conquistas e, é claro, a importância destas mulheres que, por vezes, não constam oficialmente em relatos históricos ou contemporâneos.   Em sua sexta edição, a iniciativa – realizada pelo Conselho Estadual dos Direitos da Mulher (CEDM/MT), por meio da Secretaria de Estado de Assistência Social e Cidadania (Setasc/MT) – tem como objetivo enaltecer a trajetória em vida e in memoriam das mulheres que lutam e promovem a defesa dos direitos femininos em todas as esferas sociais e econômicas do Estado. 

Mulheres que se destacaram no campo profissional ou pessoal, quer seja por um fato relevante, produção de conhecimento ou pela própria trajetória de vida. São professoras, escritoras, advogadas, políticas e trabalhadoras das mais diversas áreas, capazes de inspirar importantes transformações que impactam e/ou impactaram a vida da população hoje. Mulheres que podem estar ao seu lado – na sua família, ambiente de trabalho ou vizinhança. Inclusive, uma delas pode ser você. 

Todas as indicações são feitas, mediante requerimento, pela sociedade. Ou seja, você pode indicar e valorizar a luta de uma mulher. E, sem dúvidas, ao valorizarmos aquelas representantes que estão na luta pelos direitos das mulheres, nós valorizamos também as lutas relacionadas à dignidade humana e à igualdade. Lutas que ajudam a construir um Mato Grosso ainda melhor. 

Ruth Marques Corrêa da Costa, que cede nome ao prêmio, é um exemplo dessa representatividade feminina. Dedicou-se ao magistério e foi diretora da Escola Bernardina Rich por 19 anos, além de exercer o cargo de supervisora em várias escolas de Cuiabá. Ela ajudou a criar a Associação de Professores Primários de Mato Grosso, que depois recebeu o nome de Sindicato dos Trabalhadores do Ensino Público. Ruth fez a diferença no Estado.  

 Vale destacar que, ao longo dos anos, o prêmio homenageou mulheres como, por exemplo, a defensora pública Lindalva de Fátima Ramos, que traz na bagagem vários projetos e eventos nos bairros com ações da Defensoria voltadas à melhoria da qualidade de vida da população. Lindalva sempre se preocupou com as mulheres vítimas de violência doméstica e familiar. Tanto que desenvolveu campanhas de combate ao problema, sendo uma das fundadoras da Rede de Frente – que recebeu prêmios nacionais e internacionais. 

E é assim, entre tantas histórias incríveis de mulheres que precisam e merecem ser lembradas, que o prêmio estadual Ruth Marques Corrêa da Costa assume seu papel mais importante: consagrar e divulgar ao grande público aquelas que sempre estiveram na luta e que, de maneira direta ou indireta, ajudaram a mudar os rumos da história de Mato Grosso. Consulte o regulamento completo no Instagram @cedm_mt e indique uma mulher. Por elas, por todos, pelo passado, presente e futuro do nosso Estado, não podemos deixá-las no anonimato. 

Indo além, é de extrema importância que a gente resgate e revisite novamente a história de Mato Grosso quanto do Brasil e do mundo sob um novo olhar. Afinal, a história é majoritariamente contada na perspectiva masculina e abordando a atuação dos homens. Contudo, sempre existiram mulheres que, embora não reconhecidas, trabalharam e tiveram grande papel na construção de cidades, estados e países.

 Glaucia Amaral é procuradora do Estado de Mato Grosso e presidente do Conselho Estadual dos Direitos da Mulher

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos