PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

CRECI-MT

sábado, 5 de junho de 2021

Deputado atende Fecomércio-MT e arquiva PL prejudicial para o comércio

Atendendo ao pedido da Fecomércio-MT, o deputado estadual Dr. Eugênio arquivou, na quarta-feira (02), o projeto de Lei nº 352/2012, que dispõe sobre a obrigatoriedade de instalação de dispositivo de áudio para consulta de preços aos consumidores em estabelecimentos comerciais no estado. O PL foi apresentado em Sessão Ordinária realizada na Casa de Leis no dia 12 de maio.
A Assessoria Legislativa da Fecomércio-MT encaminhou nota técnica ao parlamentar que mostra que o PL traria obrigações “desproporcionais” para os comerciantes de Mato Grosso. O documento revela, ainda, que compete à União legislar sobre direito comercial, conforme inciso I do artigo 22 da Constituição Federal.
“O projeto de lei aborta matéria de direito comercial, invadindo a competência exclusiva da União Federal”, explica a nota assinada pelo superintendente da Fecomércio-MT, Igor Cunha, que destaca também o elevado custo a todos os comerciantes para a instalação de versão em áudio nos equipamentos de leitura óptica de código de barras.
“Os estabelecimentos comerciais teriam que adquirir os novos equipamentos, o que causaria impacto econômico negativo sobre o comércio, principalmente a micro e pequenas empresas, tendo em vista o elevado custo para implantação do novo leito de código de barras”, conclui o superintendente na nota.
O documento revela que “ainda que pese a boa intenção do autor, tal exigência não é razoável, dado que as vantagens que o PL promove não superam as desvantagens que ele provoca”, esclarece o documento no que se refere à propositura ferir o princípio da razoabilidade.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos