PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS
PLATAFORMA EAD DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO Cuiabá - MT.

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

sábado, 19 de junho de 2021

DESTAQUE: Crea-MT repudia acusação injusta e agressão contra engenheiro civil de Cuiabá

O Conselho Regional de Engenharia de Mato Grosso (Crea-MT), em nome do seu presidente, engenheiro civil Juares Samaneigo, diretoria e conselheiros repudiam ato de injúria, calúnia e lesão corporal de forma injusta contra o engenheiro civil, Paulo Henrique Arifa dos Santos, no dia 09 de junho.
Funcionários de uma loja Studio Z, do Shopping Pantanal, em Cuiabá, teriam acusado o engenheiro civil Paulo Arifa, que também é servidor público federal de ter roubado um par de sapatos, que ele tinha acabado de comprar.
O servidor público de 38 anos comprava roupas e calçados para participar de uma reunião que foi antecipada. Nessa loja, ele comprou um par de sapatos e depois de pagar, já os calçou. Depois disso, foi para outro estabelecimento com o intuito de comprar uma calça. Nesta outra loja, ele foi abordado por um segurança enquanto saia do provador com a roupa.
No momento escutou a vendedora falando ‘ele pegou o sapato’, onde questionei sobre o que ela estava falando e ela repetiu que ele havia roubado o calçado. Nesse momento o segurança o abordou e pediu a nota fiscal.
Com a situação, o servidor ficou nervoso e não conseguiu encontrar o comprovante de pagamento. Ele conta que foi cercado por um grupo de seguranças enquanto respondia às acusações e chegou a ser empurrado enquanto tentava convencê-los que havia comprado o produto. Durante a confusão, Paulo Arifa pisou em falso e torceu o tornozelo.
Diante dos fatos de injúria, calúnia e lesão corporal, com repercussão na mídia nacional e estadual, o Crea-MT se solidariza ao profissional registrado no Sistema Confea/Crea, uma vez que denegriram sua imagem como profissional e ser humano de forma injusta. E por este ato repudia a atitude dessas pessoas despreparadas, contratadas pelas empresas ou estabelecimento comercial.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos