PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS
PLATAFORMA EAD DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO Cuiabá - MT.

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

domingo, 20 de junho de 2021

Linha-dura Ebrahim Raisi vence eleição presidencial do Irã

Clérigo islâmico ultraconservador e chefe do Judiciário iraniano sucederá moderado Rouhani como presidente. Pleito foi comprometido por boicotes e uma participação nas urnas abaixo de 50%. O chefe do Judiciário do Irã, Ebrahim Raisi, será o novo presidente do país, anunciou neste sábado (19/06) o ministro do Exterior Mohammad Javad Zarif, após a contagem de mais de 90% das urnas.
O líder supremo aiatolá Ali Khameini louvou o clérigo islâmico ultraconservador, aproveitando para criticar o Ocidente: "O grande ganhador das eleições de ontem é a nação iraniana, pois se ergueu mais uma vez perante a propaganda da mídia mercenária do inimigo." Raisi obteve 62% dos votos, num pleito comprometido por boicotes e uma baixa participação nas urnas. O presidente em exercício, o moderado Hassan Rouhani, anunciou num discurso televisado que seu sucessor fora eleito, sem mencionar nomes.
"Eu congratulo o povo por sua escolha. Minhas saudações oficiais virão mais tarde, porém sabemos quem recebeu suficientes votos nesta eleição e quem está eleito hoje pelo povo", declarou Rouhani, que não podia mais concorrer, após dois mandatos consecutivos de quatro anos, e deixará o cargo em agosto.
Mais poder para ultraconservadores iranianos
O poder máximo no Irã cabe ao líder supremo, aiatolá Khamenei, mas o presidente tem influência significativa em questões que vão da política industrial a relações exteriores. Mais de 59 milhões de iranianos, no país e no exterior, tinham o direito de votar no escrutínio da sexta-feira.
Nas vésperas, contudo, dissidentes locais e grupos de oposição iranianos sediados em outros países haviam conclamado a um boicote, alegando que as cartas já estavam marcadas para a vitória de Raisi. O Conselho Guardião do Irã impediu centenas de candidatos moderados de concorrerem.
Pesquisas de opinião indicam que a participação eleitoral foi em torno de apenas 44%, muito inferior à da eleição de 2017, que movimentou mais de 70% do eleitorado.
A eleição ocorreu num momento em que a economia do país enfrenta duras sanções, impostas pelo governo do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, depois que Washington deixou o acordo nuclear fechado por Teerã e potências mundiais em 2015.
A reimposição das sanções mergulhou a economia na recessão, expondo Rouhani a investidas dos ultraconservadores por ter confiado no Ocidente. O país de 83 milhões de habitantes está atualmente impedido pelos EUA de vender seu petróleo e negociar com grande parte do mundo.
Possível sucessor de Khameini
Ebrahim Raisi pertence ao campo ultraconservador que desconfia mais profundamente dos EUA e critica Rouhani com rigor, desde que o acordo nuclear começou a desmoronar.
Com de 60 anos, ele encabeça o Judiciário nacional desde 2019, sendo notório por seu envolvimento, como promotor, na execução de milhares de prisioneiros políticos, no fim da década de 80. A União Europeia e os EUA lhe impuseram sanções por seu papel nas violações dos direitos humanos durante protestos antigoverno de extensão nacional de 2019.
A vitória de Raisi deverá também dar mais poder aos linhas-duras iranianos, em meio às negociações em Viena para ressuscitar o acordo de 2015. Diversos observadores veem nele o possível sucessor de Khamenei, que faz 82 anos em julho, como líder supremo do Irâ.
av (AP,AFP,Reuters,DPA)cp
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos