PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS

VI SIMPÓSIO SOBRE DISLEXIA DE MATO GROSSO – 2021 - MINICURSOS
PLATAFORMA EAD DA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MATO GROSSO Cuiabá - MT.

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

segunda-feira, 19 de julho de 2021

Candidato a chanceler é criticado por rir em visita às vítimas das enchentes

Governador de estado atingido e candidato a sucessor de Merkel, Armin Laschet foi visto rindo enquanto presidente alemão expressava condolências. Político reconhece que comportamento foi "inapropriado". O candidato a chanceler federal da Alemanha pela União Democrata Cristã (CDU) e atual governador do estado da Renânia do Norte-Vestfália, Armin Laschet, foi alvo de duras críticas após ser flagrado dando risada durante uma visita a uma das cidades devastadas pelas enchentes no oeste do país.
O incidente ocorreu no sábado (17/07) durante uma entrevista coletiva do presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, na cidade de Erfstadt, uma das áreas mais atingidas pelas enchentes e que foi palco de esforços dramáticos de resgate. Enquanto o presidente expressava suas condolências às vítimas, Laschet e um grupo de assessores eram vistos ao fundo conversando descontraidamente e dando risadas.
No dia seguinte, o democrata-cristão foi ao Twitter pedir desculpas e dizer que seu comportamento foi "inapropriado". "Agradeço ao presidente federal por sua visita. O destino das pessoas afetadas, sobre o qual ouvimos em muitas conversas, é importante para nós", escreveu. "Portanto, lamento ainda mais a impressão que surgiu de uma situação de conversação. Isso foi inapropriado e sinto muito."
O tabloide alemão Bild publicou que Laschet e sua comitiva não podiam ouvir o que Steinmeier estava dizendo aos repórteres, pois o áudio estava baixo. Mas a indignação se espalhou nas redes sociais e nos jornais de domingo, enquanto a chanceler federal alemã, Angela Merkel, visitava a região e classificava a situação como "catastrófica" nas áreas afetadas.
Laschet, do mesmo partido de Merkel, é o atual líder nas pesquisas de opinião pública para as eleições gerais de setembro.
Indignação nas redes sociais
A hashtag #Laschetlacht (Laschet ri, na tradução literal) foi um dos principais tópicos debatidos no Twitter, e o incidente foi arduamente discutido na mídia alemã. Os partidos de oposição criticaram veementemente o candidato democrata-cristão à Chancelaria Federal.
"A maneira como Armin Laschet está brincando nos bastidores enquanto o presidente Frank-Walter Steinmeier discursa às vítimas é sem decência e ultrajante", disse Lars Klingbeil, secretário-geral do Partido Social-Democrata (SPD), em entrevista à edição dominical do Bild.
"TWITTER: DW Brasil - @dw_brasil - A extensão dos danos causados por inundações catastróficas na Alemanha pode ser vista nestas imagens de antes e depois. Vilas pitorescas de tradicionais casas no estilo enxaimel espalhadas por vales estreitos foram destruídas. 6:54 AM · Jul 19, 2021
"Dizem que em tempos de crise, o verdadeiro caráter de uma pessoa se revela", prosseguiu o social-democrata, acrescentando que, com o seu comportamento, Laschet havia "se desqualificado".
O Partido Liberal Democrático (FDP) também teceu críticas a Laschet. O vice-presidente dos liberais, Michael Theurer, disse que "gozar sem máscara enquanto o presidente expressa suas condolências às vítimas não faz jus à gravidade da situação".
Líder na corrida pela chefia de governo
Pesquisas de opinião recentes colocam Laschet bem à frente na corrida eleitoral para o cargo de chanceler federal da Alemanha, com a sua legenda conservadora tendo uma vantagem de quase dez pontos percentuais sobre os verdes.
A candidata do Partido Verde, Annalena Baerbock, inicialmente apontava no topo das intenções de voto, mas acabou por perder créditos após controvérsias sobre consideráveis imprecisões em seu currículo acadêmico e profissional, a sonegação de pagamentos especiais no Parlamento alemão e acusações de plágio em diversas passagens de seu livro. As alegações a derrubaram nas pesquisas.
O Partido Verde colocou a proteção do meio ambiente no centro de sua agenda política e de governo na Alemanha. O partido se alinhou a especialistas que conectam a crise climática a evento climáticos extremos – como as inundações devastadoras ocorridas nos estados da Renânia-Palatinado e Renânia do Norte-Vestfália, justamente o reduto de Laschet.
O tópico certamente será retomado na campanha eleitoral. Laschet tem sido acusado de não seguir políticas ecológicas a nível estadual na Renânia do Norte-Vestfália, mas em resposta às enchentes, ele disse que apoia a aceleração dos esforços para combater a mudança climática.
pv/ek (AP, DPA)cp
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos