Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Salesiano Santo Antônio

Salesiano Santo Antônio
Rua Alexandre de Barros, 387, Chácara dos Pinheiros Cuiabá

Mixto Esporte Clube

Mixto Esporte Clube
Nas origens do Mixto uma mescla de cultura, tradições regionais e esportes praticados por homens e mulheres.

Prefeitura Municipal de Rondonópolis

Prefeitura Municipal de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022

quinta-feira, 5 de agosto de 2021

Pai, você presta atenção ao tempo de tela do seu filho?

Porque o pai é o responsável pela tecnologia absorvidas pelas crianças em casa.
Um ano após o início da pandemia, pais em todo mundo estão observando seus filhos deslizarem por um caminho cada vez mais escorregadio, a vida digital que tudo consome. Segundo o estudo do “Blue Book of Being Social Mentaly” são os homens os responsáveis por levar as tecnologias para casa, e consequentemente, a estimular o uso viciante das telas nos filhos. Por mais assustador e injusto que pareça, a pandemia fez com que muitos pais passassem a trabalhar home office, e relaxassem as restrições às telas dos filhos, como uma forma temporária de manter as crianças frustradas e inquietas entretidas. E não parou por aí: a vida escolar também se modificou e o que antes era uma atividade de ir à escola, passou a ser através de uma tela. Os amigos passaram a ser virtuais e os relacionamentos foram para as redes sociais e games.
O que antes para muitas crianças era ir à escola, interagir com os professores, conversar com os amigos, brincar com o cachorro hoje se resume a uma tela na mão.
Crianças do mundo todo interagem com 3 dispositivos na mão e uma infinidade de redes sociais e games, e isso não tem sido muito saudável nem para o corpo e nem para a mente.
E comumente o surto nas famílias acontece: um belo dia, os pais resolvem que o filho passa horas demais diante das telas e corta tudo de uma vez só. Sem wifi, dispositivos e atividades, as crianças se frustram em nível máximo, e não é incomum historias próximas a nós de crianças se auto mutilando e tentando o suicídio.
Muitas vezes a figura máxima da casa leva sem querer o vicio da tela aos filhos, justamente porque precisa trabalhar horas diante de uma tela. Ou porque ama jogar games no tempo livre, ou simplesmente porque o hábito de checar as redes sociais levou nossa atenção para a China.
Mas, por que, justamente na hora da tecnologia trabalhar do lado das famílias, ela falha? Porque os cérebros das crianças, até a adolescência, são considerados "plásticos", o que significa que eles podem se adaptar e mudar para novas circunstâncias o tempo todo.
Isso significa que teremos adultos sem saber o limite entre abuso e vício, sem saber o que é certo e errado além dos inúmeros distúrbios mentais. Quanto mais rotina em frente às telas uma criança tem hoje, mais difícil será impor limites ou tratar o vício dela amanha.
Empresas de tecnologia têm levado legiões de crianças com menos de 10 anos ao consumismo. Isso porque se dedicam horas incontáveis a jogos como Fortnite e aplicativos como TikTok.
Um aplicativo chamado Roblox, particularmente popular entre crianças de 9 a 12 anos nos Estados Unidos, teve uma média de 31,1 milhões de usuários por dia durante os primeiros nove meses de 2020, um aumento de 82% em relação ao ano anterior.
Então, quando os pais podem começar a limitar o tempo de uso de seus filhos? Agora! Desligue o wi-fi de casa enquanto não estiver usando, não deixe as crianças fazerem refeições na frente de um tablet, e participem dos jogos online de seus filhos.
Não sinta culpa de exigir atenção do filho e pedir que olhe pra você em vez da tela na mão. Existem uma infinidade de aplicativos de uso parental que ajudam os pais a regular o uso das telas.
O tempo de dizer “mais vida real e menos telas” é responsabilidade dos pais, e vai sim dar mais trabalho manter seus filhos entretidos, ou mesmo dando chance ao ócio, mas com certeza vai produzir cidadãos conscientes.
Maria Augusta Ribeiro Especialista em Netnografia e Comportamento Digital - Belicosa.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos