PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

quarta-feira, 11 de agosto de 2021

Wellington Fagundes garante programa de monitoramento de secas em MT

Para conter os prejuízos da estiagem, senador intermediou convênio entre o Governo do Estado e Agência Nacional de Águas.
Uma articulação do senador Wellington Fagundes (PL-MT) junto a Agência Nacional de Águas (ANA) garantiu convênio para implantação do Programa de Monitoramento de Secas no Estado. O diretor da agência, Vitor Saback, e a secretária estadual de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti, firmaram o compromisso nesta terça-feira, 10, durante reunião na sede do Bloco Vanguarda, do qual Wellington é líder. O senador, que no ano passado presidiu a Comissão Externa do Pantanal, afirmou que, ainda que as queimadas pareçam atingir com menor intensidade o território mato-grossense neste ano, a seca, em si, pode ser “ainda mais agressiva”.
“Dado o trabalho que foi feito em parceria com todas essas instituições - Secretaria de Meio Ambiente, Bombeiros e Marinha, além dos próprios ribeirinhos, fazendeiros e indígenas - muitos desses focos já foram evitados, porque havia um certo monitoramento. Agora, com essas novas ações que se somam ao que já fazemos - poços artesianos, presença maior de brigadistas e equipamentos comprados - teremos uma visível melhoria no combate a esses focos de falta de água e de queimadas”, adiantou Fagundes.
O diretor da ANA alerta que o problema da seca não advém somente da falta de chuvas, mas também da falta de umidade no ar, no solo e na vegetação. “Por isso, é importante esse monitoramento, que junta mais de 40 instituições, para que a análise real e efetiva possa chegar às mãos da defesa civil, e ela possa - no âmbito federal, estadual e municipal - fazer encaminhamentos mais adequados. É um instrumento não de previsão, mas que coloca de maneira real a seca relativa aos anos anteriores”, explica Saback.
Ao comemorar o encontro e o convênio, a secretária Mauren Lazzaretti afirmou que uma boa gestão se faz “com conhecimento e transformando dados em ações concretas”. Segundo ela, a sociedade espera justamente essas informações consistentes para, inclusive, se engajar na proteção de todos os biomas que compõem o Estado.
A assinatura do termo de cooperação técnica com a ANA busca desenvolver sistemas, garantir treinamento e efetuar testes para aferição do clima em todo o Estado. O termo possui 12 itens a serem assegurados pelo governo estadual, e constata a intensidade da seca, municiando a defesa civil de informação.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos