PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

domingo, 19 de setembro de 2021

COMBATE AO CORONAVÍRUS: Pela primeira vez em quase um ano e meio, Cuiabá não registra óbito por covid-19

Por outro lado,
especialistas demonstram que ainda é preciso manter cuidados em relação è prevenção, com distanciamento social, uso de máscaras e higienização constante. Desde o final de maio de 2020, ou seja, há quase 1 ano e meio, Cuiabá vinha registrando pelo menos uma morte diária por covid-19, seja de residente ou não residente. Essa triste marca foi quebrada nesta sexta-feira (17), quando o painel Covid-19 da capital não registrou óbito pela doença, nem de morador e nem de pacientes oriundos de outras cidades internados na Capital. Os números de 3.455 óbitos de residentes e de 1.054 de não residentes registrado na quinta-feira (16) se manteve na sexta-feira (17). O fato foi comemorado pelo prefeito Emanuel Pinheiro, na noite de sexta.
“Eu acabo de receber uma grande notícia, que me deixou muito emocionado e eu faço questão de dividir com toda a minha gente: depois de mais de ano, Cuiabá não registrou nenhuma morte por covid-19 nas últimas 24 horas. Isso é fruto de um trabalho sério e comprometido da Prefeitura de Cuiabá, dos nossos profissionais da saúde, do Comitê de Enfrentamento à Covid-19 e também de toda dedicada equipe do Vacina Cuiabá, que trabalha diariamente para vacinar com a menor brevidade possível toda a população cuiabana. Não posso deixar também de registrar que é uma conquista de toda a população cuiabana que se cuidou e nos ajuda muito a evitar a propagação do vírus. Que Deus continue nos abençoando e que essa notícia seja o presságio de grandes e abençoadas notícias de vitória contra a covid-19”, declarou.
Pandemia ainda não acabou
No entanto, as informações contidas no Informe Epidemiológico nº 24, relativo às semanas epidemiológicas 35 e 36 ( 29 de agosto a 11 de setembro), demonstram que ainda é cedo para uma avaliação positiva. O informe é elaborado tanto pela equipe de Vigilância em Saúde da Capital quanto por pesquisadores da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). O estudo lembra que desde o primeiro óbito por Covid-19 em residentes em Cuiabá, registrado em 15 de abril 2020 até 11 de setembro de 2021, a taxa de letalidade da doença ficou em 3,2%, índice que tem se mantido com pequenas variações desde a semana epidemiológica nº 35 de 2020 (30 de agosto a 05 de setembro) e que permanece mais elevado que o de Mato Grosso (2,6%) e do Brasil (2,8%).
O informe ainda traz o retrospecto de óbitos por covid-19 em residentes, mostrando oscilações no ano passado e que, a partir de dezembro de 2020, se observou aumento de mortes, padrão que persistiu nos quatro primeiros meses de 2021, sendo que o número de óbitos semanais no período de 14 de março a 24 de abril de 2021 foi maior do que o quantitativo no pico de mortes do ano de 2020 (28 de junho a 18 de julho de 2020).
De acordo com o informe, a ocorrência de óbitos nos meses de maio, junho e julho de 2021 tem apresentado tendência de redução, entretanto, no mês de agosto observou-se um aumento no número de óbitos na primeira quinzena e uma redução na segunda quinzena. A tendência de redução permaneceu nas duas primeiras semanas de setembro, mas os pesquisadores fazem o alerta: “Embora evidencie-se certa estabilidade, os quantitativos se mantêm em patamares elevados, as oscilações são frequentes, e ainda é preciso destacar o aumento dos óbitos nas duas primeiras semanas de agosto e das internações nas duas últimas de julho, o que requer o incremento da assistência aos casos graves e, especialmente, o diagnóstico precoce e a qualidade do atendimento prestado aos casos graves da doença, além evidentemente da intensificação da vacinação na capital”, diz trecho do informe.
Prevenção deve ser mantida
Conforme os especialistas, até que a maior parte da população esteja vacinada contra a covid-19, será necessário combinar medidas para enfrentamento da pandemia, não descartando as medidas de prevenção e contenção (distanciamento físico e social, uso de máscaras, higienização, entre outros) visando a redução da taxa de transmissão do vírus, que voltou a aumentar entre o último e o penúltimo informes epidemiológicos.
A gerente de Vigilância Epidemiológica de Cuiabá, Flávia Guimarães, afirma que, se toda a população se manter engajada no combate ao vírus, usando máscara, lavando as mãos constantemente ou usando álcool 70% na impossibilidade de usar água a sabão, evitando aglomerações e buscando se vacinar, em breve será possível afirmar que a pandemia foi controlada e, aos poucos, retomar a vida normal. "A vacinação tem propiciado a grande diferença que temos observado no quadro pandêmico. É nítido que quanto mais atingimos a cobertura vacinal entre a população, os casos de covid-19 vem diminuindo. Entretanto, ainda não chegamos a uma situação de controle da pandemia, sendo muito preocupante a disseminação da variante Delta, que é altamente transmissível. Por isso, é fundamental lembrar que as vacinas disponíveis apresentam limites em relação ao bloqueio da transmissão do vírus e que a circulação dele está totalmente ligada ao comportamento das pessoas, que precisam se manter vigilantes", aponta a profissional de saúde.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos