PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

quinta-feira, 23 de setembro de 2021

Sincofarma-MT se reúne com associados e distribuidoras para discutir aplicação do sistema de logística reversa de medicamentos

Para atender a uma legislação federal de 2020 (Decreto nº 10.388), o Sindicato do Comércio Varejista de Produtos Farmacêuticos de Mato Grosso (Sincofarma-MT) reuniu na sede da Fecomércio-MT, nesta semana, empresários do segmento e de distribuidoras de medicamentos, para fazer valer nas farmácias e drogarias do estado o sistema de logística reversa de medicamentos vencidos ou em desuso.
O decreto estabelece que os empresas localizados nas capitais dos estados e municípios com mais de 500 mil habitantes disponibilizem, a partir do dia 28 de setembro, recipientes para descarte de caixas com medicamentos vencidos ou em desuso pelos consumidores. A exigência para os municípios com população superior a 100 mil habitantes deverá valer a partir do dia 29 de novembro de 2023.
A legislação pede, ainda, um ponto fixo de coleta para cada 10 mil habitantes nos municípios com população superior a 100 mil habitantes. Em Cuiabá, por exemplo, 62 farmácias e drogarias deverão seguir o que foi estipulado pelo decreto federal. O sindicato que representa a categoria já está credenciando os estabelecimentos para atender à exigência.
O presidente do Sincofarma-MT, Hamilton Domingos Teixeira, também destaca a exigência das indústrias farmacêuticas de custear o descarte adequado do material. “As farmácias e drogarias credenciadas já estão fazendo a sua parte e seguindo a legislação. Caberá às indústrias dar a destinação final ambientalmente adequada, que precisa ser por incineração, coprocessamento ou em aterros sanitários destinados a produtos perigosos”.
No Brasil, 90% são lixões e isso acaba por prejudicar o trabalho de toda cadeia produtiva do segmento. ‘Existe desde 2010 a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei Federal nº 12.305) que trata da extinção de lixões e a criação dos aterros sanitários. O problema é que os governantes vêm adiando a implantação desse sistema considerado correto, o que acaba por onerar ainda mais os custos das empresas em todo país”.
Assessoria/Caminho Político
@caminhoppolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos