Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Salesiano Santo Antônio

Salesiano Santo Antônio
Rua Alexandre de Barros, 387, Chácara dos Pinheiros Cuiabá

Seu título está na mão

Seu título está na mão
1º Título de Eleitor Decreto nº 3.029 - 9.1.1881

CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ
Praça Moreira Cabral - Centro - s/n - Cuiabá-MT

quarta-feira, 20 de outubro de 2021

Senado aprova subsídio para famílias pobres comprarem botijão de gás

Programa pagará a cada dois meses pelo menos 50% do valor médio do botijão de 13 kg, que superou os R$ 100. Texto será analisado novamente pela Câmara.O Senado aprovou nesta terça-feira (19/10) um projeto de lei que cria um subsídio destinado a famílias de baixa renda para a compra de botijões de gás de cozinha.
O texto já havia sido aprovado pelos deputados em setembro, mas foi alterado pelos senadores, que retiraram a Cide (Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico) como uma das fontes de financiamento do subsídio. Por esse motivo, o projeto deverá ser analisado novamente pela Câmara.
Segundo o texto aprovado pelo Senado, o programa Gás para os Brasileiros terá vigência de cinco anos e será destinado às famílias inscritas no Cadastro Único, com renda familiar mensal per capita menor ou igual a meio salário mínimo, ou que tenham entre seus membros, residentes no mesmo domicílio, quem receba o benefício de prestação continuada (BPC).
Cada família receberá, a cada dois meses, um subsídio de no mínimo 50% do valor médio do botijão de 13 kg, que ultrapassou neste mês a marca de R$ 100. O pagamento será feito preferencialmente à mulher responsável pela família. Para efeito de comparação, o Bolsa Família paga, em média, um benefício mensal de cerca de R$ 200.
O custo do programa será de R$ 4 bilhões a R$ 8,5 bilhões por ano, dependendo do percentual de subsídio. Ele será financiado por royalties devidos à União em função da produção de petróleo, de gás natural e de outros hidrocarbonetos sob o regime de partilha de produção, pela parcela da receita de comercialização do excedente em óleo da União, pelos bônus de assinatura nas licitações de áreas para a exploração de petróleo e de gás natural, e por dividendos da Petrobras recebidos pela União, entre outras fontes.
"O gás de cozinha, de item de primeira necessidade, transformou-se em artigo de luxo, inacessível a grande parte de nossa população", afirmou o senador Marcelo Castro (MDB-PI), relator do projeto, que havia sido apresentado pelo senador Eduardo Braga (MDB-AM) e foi anexado a projetos semelhantes apresentados pelo deputado Carlos Zarattini (PT-SP) e pelo senador Paulo Paim (PT-RS).
Não seria a primeira vez que o governo federal paga um subsídio para famílias de baixa renda comprarem gás. No governo de Fernando Henrique Cardoso, o auxílio-gás foi instituído no valor de R$ 15, que equivalia a 75% do preço do botijão de gás. Em 2003, já no governo Luiz Inácio Lula da Silva, quando o preço dos combustíveis era controlado, o auxílio-gás foi incorporado ao Bolsa-Família.
bl (Agência Senado)cp
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos