PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

domingo, 14 de novembro de 2021

ABERTURA DE CONFERÊNCIA: Wellington destaca restauração do bioma pantaneiro: “para que futuras gerações conheçam o pantanal”

A conferência do Estatuto do Pantanal acontece no Teatro Zulmira Canavarros, na Assembleia Legislativa, e vai até a próxima sexta-feira (12).
Na abertura da 1ª Conferência Sobre o Estatuto do Pantanal, o senador Wellington Fagundes (PL-MT), destacou em seu discurso a importância da restauração do Pantanal, que nos últimos 50 anos, sofreu a perda de aproximadamente 30% do bioma devido às queimadas provocadas pelas secas na região Centro-Oeste do país. Fagundes, que é presidente da Subcomissão Permanente de Proteção ao Pantanal, demonstrou o desejo de fazer com que seja extinta toda e qualquer ameaça à existência do bioma.
“Da minha parte, sinceramente, não podemos ver, na presença do homem, nenhuma ameaça ao Pantanal. Ao longo de quatro séculos, o homem aprendeu a viver em harmonia com a natureza. Ainda mais um homem pantaneiro, que vive respeitando o ciclo das águas, o movimento dos animais e o crescer da mata. Afirmo, com muita convicção, que nenhum ser humano quer destruir o pantanal”, disse ele.
O evento, que começou nesta quarta-feira (10), segue até a próxima sexta (12), reunindo diversas autoridades que irão debater o Projeto de Lei 5.482/2020, que estabelece a definição do bioma, sua abrangência e diretrizes, abarcando a aplicação da legislação ambiental existente, ações voltadas para sua garantir a sustentabilidade socioambiental e a proteção dos cursos hídricos e nascentes.
Serão debatidos temas como valorização, diversidade cultural, social e ambiental, bioeconomia, ecoturismo, o fomento das cadeias produtivas biosustentáveis, a ampliação das infraestruturas e dos serviços públicos essenciais à população. Além disso, também será tema da conferência: a prevenção e controle do desmatamento e queimadas ilegais, recuperação de bacias hidrográficas e de áreas degradadas, bem como a sua regularização fundiária.
“O estatuto do pantanal é uma ferramenta indispensável em todos os aspectos para a regulação das atividades do bioma. Conclamo a todos, que nos dediquemos na busca do objetivo que é comum a todos, ou seja, definir regras claras e objetivas de uso e ocupação, para que o pantanal seja sempre um patrimônio vivo”, destacou Fagundes.
“Queremos uma lei com rara possibilidade para contestação. Uma lei a ser construída com a luz da ciência, do conhecimento, e da experiência de quem vive, que é o homem pantaneiro. Por isso, uma lei que abre caminhos, que permita garantir investimentos que possam ser direcionados na vertente de defesa desse bioma santuário. A jornada de hoje, que emana na constituição do Estatuto do Pantanal, com certeza será notada e muito bem anotada na nossa história, para que as futuras gerações saibam que em 2021, homens e mulheres lutaram para que eles possam conhecer o Pantanal da mesma forma que nossos pais e avós conheceram: lindo, vibrante e acima de tudo, cheio de vida”, pontuou.
A abertura da conferência contou também com a presença do ministro Joel Ilan Paciornik, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que esteve no local e falou da harmonização do meio ambiente e do desenvolvimento econômico.
“A iniciativa do senador Wellington de apresentar esse Projeto de Lei, é extremamente importante. Temos que mostrar para o mundo o nosso potencial, somos uma nação riquíssima, capazes de ter um desenvolvimento biosustentável”, destacou o ministro.
Já o governador Mauro Mendes, exaltou a iniciativa do senador e ressaltou que acredita no debate em prol do Estatuto do Pantanal e nas benevolências que ele irá trazer para Mato Grosso. “Temos condições de fazer desse barco jurídico, um instrumento para o bem do Pantanal, que ele agregue valor nas pessoas que lá vivem, ao meio ambiente, e que ao mesmo tempo ajude na preservação e utilização desse bioma, de forma muito sustentável e racional”, afirmou.
A conferência contou com a participação efetiva da Assembleia Legislativa de Mato Grosso. O presidente da Casa de Leis, Max Russi fez questão também de enaltecer a iniciativa do senador em trazer o Estatuto do Pantanal para uma ampla discussão através do evento. “Senador lhe agradeço, por trazer esse debate nesse momento crítico, e que nós precisávamos realmente assumir essa responsabilidade”.
Já representando a parceria do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, a presidente Maria Aparecida Ribeiro, falou da importância do evento e sobre o comprometimento do Poder Judiciário com a causa ambiental. “Percebo aqui reunidos que se encontram os retalhos necessários a essa missão de tamanha relevância. O sucesso de qualquer política pública depende de um tripé formado pela participação da sociedade, a vontade política de seus representantes e o trabalho de técnicos qualificados. Deixo aqui uma mensagem do Poder Judiciário de Mato Grosso: estamos comprometidos com o desenvolvimento sustentável e estabelecidos na agenda 2030 da agenda da ONU (Organização das Nações Unidas) e seremos sempre parceiros”, destacou.
Da assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos