PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

segunda-feira, 15 de novembro de 2021

Advocacia mato-grossense se sentiu abandonada durante a pandemia

A pandemia da Covid-19 atingiu fortemente diversos setores da economia e profissionais e com a advocacia não foi diferente. Com o fechamento do Judiciário, devido aos decretos de lockdown, muitos advogados e advogadas não conseguiram dar andamento aos processos de clientes e não tiveram amparo da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Mato Grosso (OAB-MT).
A advogada Luciana Portela, que atua há 17 anos em Cuiabá, diz que não se sentiu representada durante a pandemia. “Me senti desamparada. Hoje o Judiciário se tornou digital e veio novamente o receio de não ter minhas prerrogativas. Como poderíamos acessar o magistrado, por exemplo? Ninguém nos orientou, ficamos à deriva”, afirma.
Para ela, agora não é momento de a atual gestão fazer promessas. “Quem está no poder não tem que mostrar propostas, tem que mostrar o que já fez pela advocacia”, pontua.
João Carlos Hidalgo Thomé, advogado em Tangará da Serra, defende a renovação da OAB-MT por que acredita que a alternância de poder faz parte da democracia e, também, pela ineficiência desta gestão durante a pandemia.
“Defendo a renovação porque nesta Era da Pandemia ficou demonstrado o distanciamento da Diretoria da Ordem dos Advogados do Brasil, com ausência absoluta de atuação firme junto ao Poder Judiciário em defesa dos interesses profissionais da advocacia e da sociedade”, manifestou em carta aberta.
O jovem advogado de Rondonópolis, Bruno César Brandão Prado, que está há três anos e meio na profissão, reforça a necessidade de mais apoio à categoria, especialmente para quem está iniciando o caminho da advocacia e fala sobre desamparo durante a pandemia.
“Acredito que a OAB-MT poderia fazer muito mais para auxiliar quem está no início de carreira. Além disso, o impacto e as consequências da pandemia foram devastadores. Vários órgãos ficaram fechados por muito tempo e tivemos outras restrições e, a meu ver, a entidade poderia ter agido para resguardar as prerrogativas dos advogados e também a democracia, no que se refere às liberdades individuais”, afirma.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos