PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

segunda-feira, 8 de novembro de 2021

APRIMORAMENTO: Profissionais do programa Melhor em Casa fazem curso de atualização no cuidado com feridas

Atualmente, 95% dos 98 pacientes atendidos têm algum tipo de ferimento que demanda curativos por parte da equipe de saúde.
Enfermeiros, técnicos de enfermagem, médicos e fisioterapeutas do programa Melhor em Casa realizaram no um curso de atualização no cuidado com feridas para aperfeiçoar técnicas para tratamento, uma vez que 95% dos 98 pacientes atendidos atualmente têm algum tipo de ferimento que demanda curativos por parte dos profissionais, principalmente lesões por pressão, popularmente chamadas de escaras.
O primeiro dia de curso foi teórico. Já os demais foram de avaliação in loco, nos quais as enfermeiras dermatológicas Thaís Brito Anastácia e Stella Borges, orientadoras do curso, acompanham as equipes nos atendimentos domiciliares e revisam na prática as técnicas ensinadas.
“Nessas avaliações in loco, a gente vê qual o tipo de lesão, qual a melhor cobertura para tratamento para estar otimizando o tempo de cicatrização, avalia o prontuário para entender se o paciente tem diabetes, pressão alta, se ele faz uso de alguma medicação que porventura possa estar interferindo na cicatrização. É importante avaliar de uma forma geral, alimentação, doenças que ele tem porque tudo isso interfere, explica Thaís Brito Anastácia.
Segundo ela, os cuidadores dos pacientes, ou seja, o familiar ou pessoa paga para cuidar dele no dia-a-dia, também recebem as orientações básicas para dar seguimento ao tratamento. “A gente está capacitando a equipe, mas a gente sempre chama o cuidador porque ele que vai ficar ali todos os dias olhando para ver se está evoluindo. Então a gente orienta na questão da troca, da limpeza. A gente ensina o básico para eles”.
A dona de casa Cleusa de Jesus Figueiredo de Souza, que cuida do irmão Paulo Reginaldo Figueiredo, 50, que ficou paraplégico após ser vítima de um assalto no qual levou um tiro, há 14 anos, conta que apesar de ajudar o irmão, a presença dos profissionais do programa Melhor em Casa é primordial. “Às vezes eu faço o curativo, dou a medicação. O cuidado da equipe é importante porque eles vêm ver como está três a quatro vezes na semana, trocam a sonda quando precisa. É bom eles avaliarem porque têm mais experiência do que a gente que não estudou enfermagem”, diz.
Conforme a coordenadora do Melhor em Casa, Joelma Toledo, os mais de 30 profissionais que compõem o programa estão constantemente passando por capacitações para oferecer melhor qualidade de vida aos pacientes. “A gente sempre busca estar atualizados na execução porque às vezes sai uma nova técnica, uma nova cobertura e a gente vai aprendendo a como melhorar as técnicas desenvolvidas. Avaliamos tamanho, profundidade da ferida, se está apresentando ou não melhora”, conta.
Programa Melhor em Casa
O programa oferece atendimento em saúde domiciliar a pacientes acamados, seja por alguma deficiência física ou doença, e também pacientes oncológicos ou que necessitam de cuidados paliativos e que atendam aos critérios de elegibilidade. O serviço conta com seis equipes compostas por técnicos de enfermagem, enfermeiros, médicos, fisioterapeutas, motoristas, assistente social, psicóloga e farmacêutico, que atendem as quatro regiões da zona urbana de Cuiabá.
Para ter acesso ao programa, o cuidador deve procurar a unidade básica de saúde mais próxima da residência do paciente acamado para preencher o formulário de solicitação de atendimento. Em seguida, é feita uma visita de avaliação pela equipe do programa, ocasião em que é verificado se o paciente é elegível ou não para ser atendido no programa, conforme os critérios definidos pelo Ministério da Saúde.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos