PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE

PREFEITURA DE VÁRZEA GRANDE
Prefeitura publica novo decreto e mantém fiscalização rígida contra pandemia Várzea Grande vacina Guarda Municipal e forças de segurança e vai abrir cadastro para idosos acima de 60 anos Várzea Grande e Assembleia Legislativa vão abrir novos pontos de vacinação Várzea Grande abre inscrição para 60 anos depois de vacinar 6,5 mil pessoas nos últimos dias

HOSPITAL H•BENTO

HOSPITAL H•BENTO
Av. Dom Aquino, 355 • Centro, 78015-200 • Cuiabá - MT

Hospital Estadual Santa Casa

DE OLHO NOS RURALISTAS!

DE OLHO NOS RURALISTAS!
Observatório de agronegócio e políticas ruralistas no Brasil. As notícias com perspectiva social e ambiental.

quinta-feira, 11 de novembro de 2021

Jornalistas de SP aderem a paralisação histórica por reposição de perdas salariais

Em mobilização simbólica, o Sindicato e jornalistas do Estado de São Paulo realizaram nesta quarta-feira, 10 de novembro, uma paralisação de duas horas para reivindicar reposição salarial de 8,9%. O ato começou às 16h, com postagens de profissionais de diferentes veículos de imprensa acompanhadas das hashtags
#jornalistasvãoparar e #jornalistassalvamvidas.
Repórter do Valor Econômico, Ana Luiza de Carvalho celebrou no Twitter a adesão ao movimento. “Nesse momento, somos mais de 250 jornalistas de vários veículos paralisados, reivindicando a recomposição inflacionária em nossos salários.”Repórter da Folha de São Paulo,onde mantém o blog Vidas Negras Importam, Matheus Moreira afirmou que não está “fácil pagar energia elétrica, gasolina, carne e botijão de gás”. “Jornalistas também fazem tudo isso, por isso paramos!”
O deputado Marcelo Freixo também manifestou-se a favor da reposição salarial. “Quem defende a liberdade de imprensa apoia a luta dos jornalistas por melhores salários.”
Reposição pela inflação
Segundo a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), os jornalistas de São Paulo estão há cinco meses negociando a Convenção Coletiva de jornais e revistas da capital. O objetivo da categoria é recompor os salários pela inflação do período de junho de 2020 a maio de 2021 (8,9%) registrada pelo INPC.
Após a realização de assembleias, as empresas propuseram reajuste de 4,45% para salários até R$ 10 mil, valor fixo de R$ 445 para os demais salários e retirada da Convenção Coletiva de Trabalho de uma cláusula de multa de quase R$ 800. O reajuste seria pago a partir de 1º de agosto, de maneira retroativa.
Em assembleia com quase 200 jornalistas, realizada no último dia 29 de outubro, foi reafirmada a contraproposta de reajuste de acordo com as perdas inflacionárias de 8,9% e a paralisação por duas horas.
Embora seja considerada simbólica, a paralisação também é tida como histórica para a categoria, que há muito não fazia algo do gênero. “Mas graças à união crescente das e dos colegas de diferentes redações, as condições para mobilizações concretas se fortalecem a cada dia”, disse em nota o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP).
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos