Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Salesiano Santo Antônio

Salesiano Santo Antônio
Rua Alexandre de Barros, 387, Chácara dos Pinheiros Cuiabá

Mixto Esporte Clube

Mixto Esporte Clube
Nas origens do Mixto uma mescla de cultura, tradições regionais e esportes praticados por homens e mulheres.

Prefeitura Municipal de Rondonópolis

Prefeitura Municipal de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022

terça-feira, 14 de dezembro de 2021

ARTE: Exposição “Deusas do Cerrado – Mito da Beleza” inaugura em Chapada dos Guimarães

Da artista Anna Lua, exibição questiona o que é o belo e será inaugurada no dia 15 de dezembro, no Centro Cultural Casa Di Rose. Uma exposição com telas que visam questionar o que é o belo, ao mesmo tempo que se propõe a fazer uma conexão poética com o Cerrado mato-grossense e o feminino. É a partir deste ponto que será inaugurada no dia 15 de dezembro, próxima quarta-feira, a mostra “Deusas do Cerrado – Mito da Beleza”, no Centro Cultural Casa Di Rose, em Chapada dos Guimarães.
Da artista Anna Lua, com ainda fotografias da artista colaboradora Ju Queiroz, as obras se conectam e complementam. São cores vivas, que parecem gritar, ao mesmo tempo que promovem um silenciar questionador do espectador.
“Assim como as árvores do bioma que carrega em seu nome, nasce de uma semente: a ideia de que a beleza é um mito. Embora nos seja apresentada de forma tão idealizada através da indústria cultural, a noção de beleza que advém de corpos padrões fabricados pela indústria estética é falsa. Compreender outras formas anatômicas de habitar o mundo é o gatilho poético que culmina na pintura das Deusas que compõem essa exposição”, diz trecho do texto escrito para a exposição, do produtor cultural João Gabriel Ferreira.
Ainda, conforme o pressuposto de que “toda mulher carrega consigo suas Deusas”, a exposição percorre um caminho nascido do inconsciente de Anna e transborda “em experimentações para compreensão de si, do ser e da essência do ser - o ser em comunhão com a natureza”.
A natureza, aliás, é foco de ambas as artistas, que vivem em Chapada dos Guimarães e mostram em seus trabalhos cotidianos como a mata as envolve.
“Anna Lua tem como guia o movimento de Arte Visionária, em que o uso de materiais não convencionais expressa o objetivo de produzir arte a partir de um estado não-ordinário de consciência. Transcender o corpo a partir da materialidade, entre cores e texturas das obras, que nos conduz ao encontro da nossa força. Como nas fotografias de Ju Queiroz, que agregam para compor essa exposição, em que Anna me relata sua capacidade de sentir as cores que vibravam dos espíritos das pessoas”, completa o produtor cultural da exposição.
AS ARTISTAS - Anna Lua, nome artístico de Anna Flávia Barros (Cuiabá, Mato Grosso), é uma multiartista: pintora, artesã, muralista, desenhista, ilustradora, designer e atriz. Suas obras se destacam pelo colorido exuberante, através da arte visionária, trazendo temáticas sociais de relevância atributiva.
Desde 2018, sustenta a escolha de ser artista independente e expõe em feiras, eventos e oferece serviços artísticos desde Cuiabá a Chapada dos Guimarães. Participou de diversos eventos culturais, dentre eles: Feira de Quintal Sesc Casa dos Artesões (edição de dezembro/2018); Festival Sapere Aude (edições de junho e dezembro/2019); Movimento Rota - Street Art (edições de outubro, novembro e dezembro/2019); Mostra a Tua Arte (edição de setembro/2020); e Ixpia O Festival (edição setembro/2020).
Idealizou com outros artistas a exposição de arte "Construção - A intervenção'', realizada no Metade Cheio em agosto/2019. Residindo atualmente em Chapada dos Guimarães, Anna Lua, expõe e trabalha em seu ateliê, tanto presencial quanto virtualmente, por meio do perfil: instagram.com/annalua.art. Atualmente, em suas produções atua com a arte visionária, geometria sagrada e sagrado feminino, trazendo temas relevantes, atuais e inovadores para a cena cultural regional.
Ju Queiroz é fotógrafa, psicóloga de formação, mãe da Flora, feminista, ativista em construção. Busca através da sua fotografia trazer uma nova percepção sobre os corpos, e promover uma experiência fotográfica transformadora para as mulheres. É apoiadora oficial do projeto Lute como uma Gorda da pesquisadora Malu Jimenez, onde estampa as fotos no livro do mesmo nome. Também está a frente da Jornada do Corpo, com uma proposta de autorretrato aliado ao autoconhecimento, onde mais de 300 mulheres já participaram de forma online.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos