Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Salesiano Santo Antônio

Salesiano Santo Antônio
Rua Alexandre de Barros, 387, Chácara dos Pinheiros Cuiabá

Mixto Esporte Clube

Mixto Esporte Clube
Nas origens do Mixto uma mescla de cultura, tradições regionais e esportes praticados por homens e mulheres.

Prefeitura Municipal de Rondonópolis

Prefeitura Municipal de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022

quinta-feira, 16 de dezembro de 2021

Brasileiro que identificou a ômicron é destaque da "Nature"


O bioinformata Tulio de Oliveira foi escolhido pelos editores da renomada revista científica como uma das 10 personalidades que fizeram a diferença em 2021. O bioinformata brasileiro Tulio de Oliveira, que junto com sua equipe identificou a variante ômicron do coronavírus, está na lista da renomada revista científica Nature das 10 personalidades que fizeram a diferença em 2021, ano marcado pelo combate ao coronavírus e à crise climática.
A lista divulgada nesta quarta-feira (15/12) pela Nature foi elaborada por editores da revista e destaca, entre outros feitos, a descoberta de Oliveira e sua equipe da Plataforma de Pesquisa e Inovação em Sequenciamento KwaZulu-Natal (Krisp, na sigla em inglês).
A publicação reforça que a rápida identificação de variantes pode ser a chave para controlar uma pandemia cujo fim depende, em parte, de vacinas eficazes e distribuídas de forma justa em todo o mundo. Pelo Twitter, Oliveira se disse "surpreso" e destacou o empenho de centenas de cientistas brasileiros e africanos.
"TWITTER: Tulio de Oliveira - @Tuliodna - Hi, thanks, very humbled and surprised as I have not read the piece at Nature. Of course this is a team effort with 100s of African and Brazilian scientists @houzhou @rjlessells @EduanWilkinson @Jenn_Giandhari @Mittenavoig @vagnerf0nseca
Eric Topol @EricTopol Congratulations to @Tuliodna and @kallmemeg for their extraordinary efforts during the pandemic, named today as @Nature's 10, among 10 people who helped shape science for 2021
https://nature.com/articles/d41586-021-03621-0
Em 25 de novembro, Oliveira anunciou a descoberta de uma nova variante do Sars-Cov-2, batizada de ômicron, detectada em amostras de Botswana, África do Sul e Hong Kong.
Variante beta
No ano passado, Oliveira e a equipe da Krisp já haviam identificado outra variante, que ficaria posteriormente conhecida como beta, e que levou governos estrangeiros a restringir as viagens de e para a África do Sul. Ambas as variantes foram detectadas depois que médicos e funcionários de laboratório sinalizaram aumentos inesperados de infecções em áreas que já haviam sido duramente atingidas pela covid-19.
Oliveira estava ciente de que, ao relatar mais uma variante preocupante, corria o risco de incorrer em novas sanções, que penalizariam economicamente os países da África Austral. No entanto, se manteve firme: "a maneira de deter uma pandemia é com uma ação rápida", disse o bioinformata. "Esperar para ver não tem sido uma boa opção", completou, de acordo com a Nature.
Criado em 2017, com Oliveira no comando, o Krisp já havia rastreado patógenos por trás de doenças como dengue e zika, e outros flagelos como aids e tuberculose. No entanto, nunca antes tantas amostras diferentes do mesmo vírus foram sequenciadas em um período de tempo tão curto - tanto na África quanto em todo o mundo.
Influência em políticas
A revista também destaca que a forma de trabalho do Krisp combina tecnologia molecular de ponta com vínculos estreitos com médicos e enfermeiros na linha de frente do coronavírus, para receber informações.
Como exemplo, o mapeamento de um surto hospitalar precoce de covid-19 resultou em diretrizes para reformulação de alas, de forma a prevenir a propagação do vírus nas instituições.
"Tulio fez um trabalho incrível como pioneiro em uma nova forma de resposta científica às epidemias", disse à Nature Christian Happi, biólogo molecular que dirige o Centro Africano de Excelência para Genômica de Doenças Infecciosas da Universidade Redeemer, em Ede, na Nigéria.
Em dezembro, Oliveira mudou-se definitivamente para Stellenbosch, nos arredores da Cidade do Cabo, na África do Sul, onde desde julho vem montando o Centro de Pesquisa, Resposta e Inovação em Epidemias (CERI). O local pesquisará formas de controlar epidemias na África e no sul global, e abrigará a maior instalação de sequenciamento da África.
"A principal coisa que mostramos ao mundo é que essas coisas podem ser feitas nos países em desenvolvimento", disse Oliveira à Nature.
Outros nomes presentes na lista são a ugandensa Winnie Byanyima, diretora do Unaids; a epidemiologista britânica Meaghan Kall; Janet Woodcock, comissária interina da Administração de Alimentos e Remédios dos EUA (FDA, na sigla em inglês); a filipina Victoria Tauli-Corpuz; a cientista Friederike Otto, do Instituto Grantham para Mudanças Climáticas e Meio Ambiente em Londres; Zhang Rongqiao, principal arquiteto da missão da Administração Espacial Nacional da China (CNSA); além de três pesquisadores de novas tecnologias, com enfoque na Inteligência Artificial: o etíope Timnit Gebru, o americano John Jumper e o francês Guillaume Cabanac.
le (efe, ots)cp
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos