Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Baronês Cuiabá

Baronês Cuiabá
O cardápio mais nobre de Cuiabá.

Prefeitura de Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá
Praça Alencastro, Cuiabá, 78005-906

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

quinta-feira, 16 de dezembro de 2021

Morre bell hooks, pioneira do feminismo afro-americano

Escritora e ativista de 69 anos faleceu em casa, nos EUA. Ao longo da vida, hooks escreveu mais de 40 obras, traduzidas para 15 idiomas, abordando temas como feminismo e racismo. Morreu nesta quarta-feira (15/12), aos 69 anos, a ativista e escritora bell hooks, pioneira entre as feministas afro-americanas.
Hooks faleceu "após uma longa enfermidade", em sua casa, em Berea, no estado do Kentucky, informou o Barea College, universidade onde ela era professora. De acordo com o jornal Washington Post, a causa da morte foi insuficiência renal em estágio terminal. Pelo Twitter, as irmãs de hooks lamentaram a morte da escritora e informaram que ela faleceu rodeada pela família e amigos.
Com mais de 40 obras publicadas, traduzidas em 15 idiomas, hooks é considerada uma das mais importantes escritoras e teóricas feministas de sua geração.
Para o Washington Post, seu trabalho redefiniu o feminismo nos Estados Unidos e ampliou o movimento, que muitas vezes era entendido como um instrumento apenas das mulheres brancas de classe alta e média.
Em 2020, seus livros voltaram aos holofotes após os protestos contra o racismo que tomaram conta dos Estados Unidos.
Pseudônimo em homenagem a bisavó
Nascida Gloria Jean Watkins, em 25 de setembro de 1952 em Hopkinsville, no Kentucky, ela cresceu em uma família de sete irmãos e frequentou escolas racialmente segregadas.
Posteriormente, estudou nas universidades de Wisconsin, Stanford (Califórnia) e na Universidade da Califórnia em Santa Cruz, onde cursou inglês e fez doutorado em Literatura.
Adotou o pseudônimo de bell hooks (com iniciais minúsculas) em homenagem a sua bisavó materna, Bell Blair Hooks, para, como ela descreveu em uma entrevista, enfatizar o "conteúdo dos livros", não quem ela era.
Sob o nome de bell hooks, publicou em 1978 sua primeira obra, uma coleção de poemas intitulada And There We Wept.
Em 1981, lançou Eu não sou uma mulher, que examina a natureza do feminismo negro através das lentes do sexismo e da escravidão, assunto que voltou a ser analisado em livros como Teoria Feminista: Da Margem ao Centro e O feminismo é para todo mundo.
Ela escreveu mais de 40 obras, que incluem ensaios, livros infantis e poesias, além de tocar em uma infinidade de tópicos que vão do feminismo ao racismo, passando por cultura, política, amor e espiritualidade.
Em seus livros, mistura opiniões pessoais com política ao abordar questões tão variadas como a representação de negros no cinema, a natureza do amor ou a análise dos videoclipes de Madonna.
le (efe, Reuters, ots)cp
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos