Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Baronês Cuiabá

Baronês Cuiabá
O cardápio mais nobre de Cuiabá.

Prefeitura de Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá
Praça Alencastro, Cuiabá, 78005-906

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

quarta-feira, 15 de dezembro de 2021

Morre jornalista que "fez cair" o Muro de Berlim

Riccardo Ehrman tinha 92 anos e vivia em Madri. Em 1989, o então correspondente da Ansa em Berlim fez uma pergunta histórica que levou porta-voz da Alemanha Oriental a anunciar prematuramente a abertura das fronteiras. Morreu aos 92 anos o jornalista italiano Riccardo Ehrman. Ele ficou famoso por fazer uma pergunta histórica a um político da República Democrática Alemã (RDA) em 1989 que acabou levando à queda do Muro de Berlim.
Ehrman morreu em Madri, na Espanha, informou a agência de notícias italiana Ansa na noite desta terça-feira (14/12), citando como fonte a esposa do jornalista. Ele morava na capital espanhola, última cidade em que atuou profissionalmente.
Em 9 de novembro de 1989, Günter Schabowski, porta-voz do governo da então Alemanha Oriental, anunciou uma nova legislação sobre viagens em entrevista coletiva que entraria para a história. Após um mal-entendido, o político respondeu à pergunta de Ehrman, na época correspondente da Ansa em Berlim, sobre quando a lei entraria em vigor com uma frase que se tornaria famosa mundialmente: "Pelo que sei, ela entra... já, imediatamente".
Foto de Riccardo Ehrman. Foto de Riccardo Ehrman.
Durante toda a vida, Ehrman concedeu inúmeras entrevistas sobre a pergunta histórica feita em 1989.
Anos mais tarde, Ehrman contou que entendeu na hora a importância do fato – ao contrário de outros colegas, que preferiram ser mais genéricos e noticiaram apenas a facilitação das viagens. "Saí imediatamente e enviei um telex para a minha sede em Roma: 'O Muro caiu'", contou o jornalista em 2014, no 25º aniversário da queda do Muro de Berlim.
Estopim para queda
A notícia dada por Ehrman se espalhou rapidamente por todo o mundo. A entrevista foi transmitida ao vivo e acompanhada tanto na Alemanha Ocidental quanto na Oriental. Logo em seguida, cidadãos da RDA, de regime comunista, peregrinaram até a fronteira interna em Berlim. Durante três horas, os guardas de fronteira – que não haviam sido informados do novo regulamento – contiveram o afluxo humano.
Quando a "TV do Oeste" montou suas câmeras e confirmou a sensacional notícia, ficou claro que chegava ao fim a divisão da Alemanha – simbolizada pela construção do Muro de Berlim, em 13 de agosto de 1961.
Tarde da noite, os agentes de segurança deixaram de fazer resistência, abriram as passagens de fronteira berlinenses e deixaram as pessoas passarem do Leste para o Oeste e vice-versa, sem que fossem controlados.
Carreira internacional
De origem polonesa e judaica, Ehrman nasceu em Florença em 4 de novembro de 1929. Aos 13 anos foi enviado a um campo para judeus fundado pelo ditador italiano Benito Mussolini, no sul da Itália.
Ele estudou direito e música e começou a carreira como repórter dos jornais diários de Florença "Il Matino" e "La Natione". Em seguida, trabalhou para a agência Associated Press em Roma e em Nova York, antes de se mudar para a agência de notícias italiana Ansa.
Atuou como correspondente da Ansa em Ottawa, no Canadá, e, depois, em Berlim. Desde os anos 1990 morava na Espanha. Durante toda a vida, concedeu inúmeras entrevistas sobre a pergunta história feita em 1989.
le/ek (DPA, ots)cp
@caminhopolitico @cpweb

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos