Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Salesiano Santo Antônio

Salesiano Santo Antônio
Rua Alexandre de Barros, 387, Chácara dos Pinheiros Cuiabá

Seu título está na mão

Seu título está na mão
1º Título de Eleitor Decreto nº 3.029 - 9.1.1881

CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ
Praça Moreira Cabral - Centro - s/n - Cuiabá-MT

sexta-feira, 25 de março de 2022

Renault recua e suspende operações na Rússia após reação

Montadora havia
anunciado na segunda-feira que reativaria fábrica em Moscou. Decisão foi criticada pelo presidente da Ucrânia em discurso a parlamentares franceses, e ministro do Exterior do país pediu boicote à empresa. A montadora francesa Renault anunciou na noite de quarta-feira (23/03) que suspenderá as operações em sua fábrica de Moscou por causa da invasão russa na Ucrânia.
A decisão foi tomada após reações negativas à decisão anterior da empresa, divulgada nesta segunda-feira, de reabrir a sua fábrica em Moscou. A fabricante de automóveis era uma das poucas empresas internacionais que haviam reiniciado suas operações na Rússia.
Na quarta-feira, o presidente ucraniano, Volodimir Zelenski, em discurso aos parlamentares franceses, pediu que a Renault e outras empresas francesas que operam na Rússia "parassem de ser patrocinadores da máquina de guerra russa".
O Ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, também propôs um boicote global à Renault. Após a decisão da montadora de interromper a produção, Kuleba disse que a Renault havia tomado a decisão "responsável".
"TWITTER: Dmytro Kuleba - @DmytroKuleba -Ukraine government official I welcome @renaultgroup’s statement on cessation of industrial activities in Russia. Responsible move against the backdrop of Russia’s ongoing barbaric aggression against Ukraine.
O que disse a Renault?
A empresa divulgou um comunicado para informar que havia suspendido "as atividades em sua fábrica em Moscou". A montadora acrescentou que estava analisando as "opções disponíveis" em relação à sua parceria com a maior empresa de automóveis da Rússia, a AvtoVAZ.
A Renault tem uma participação de 69% na AvtoVAZ, a principal montadora da Rússia, que detém as marcas Lada e Zhiguli, o que a deixa mais vulnerável ao mercado local do que outros concorrentes. A Rússia é responsável por 8% da receita da montadora francesa, de acordo com o Citibank.
Mais de 400 empresas, incluindo Apple, Coca-Cola e McDonald's, reduziram ou interromperam suas operações na Rússia desde o início da guerra, de acordo com pesquisadores da Universidade de Yale, nos Estados Unidos. Outros fabricantes estrangeiros de automóveis, como a alemã Volkswagen e a japonesa Toyota, também suspenderam a produção e as exportações.
A Renault disse que, "considerando o ambiente atual", estava procurando agir com responsabilidade em relação aos seus 45 mil funcionários na Rússia. A empresa também reduziu suas projeções financeiras e disse que estimava agora uma "margem operacional do grupo de cerca de 3%, contra pelo menos 4% anteriormente".
Muitas empresas ocidentais que continuam a operar na Rússia estão sob crescente pressão para suspender suas atividades comerciais no país. Em um discurso transmitido a manifestantes na capital suíça de Berna na segunda-feira, Zelenski criticou a empresa suíça Nestlé por continuar operando na Rússia. A Nestlé rebateu dizendo que havia "reduzido significativamente" seus negócios lá, exceto em "produtos essenciais".
O Kremlin ameaçou apreender e nacionalizar os ativos de empresas de propriedade estrangeira que não retomassem seus negócios na Rússia.
bl/ek (AP, dpa)CP
@CAMINHOPOLITICO @CPWEB

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos