Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Baronês Cuiabá

Baronês Cuiabá
O cardápio mais nobre de Cuiabá.

Prefeitura de Cuiabá

Prefeitura de Cuiabá
Praça Alencastro, Cuiabá, 78005-906

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

terça-feira, 24 de maio de 2022

Moro vira réu em ação do PT por supostos prejuízos ao país

Autores da ação querem que ex-juiz indenize os cofres públicos por alegados danos ao patrimônio da Petrobras devido sua atuação na Operação Lava Jato. Ex-ministro chama processo de "risível". O ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sergio Moro virou réu em uma ação popular movida por deputados federais do PT na Justiça Federal do Distrito Federal, pedindo que ele seja condenado a ressarcir os cofres públicos por supostos prejuízos que sua atuação no contexto da Operação Lava Jato tenham causado à Petrobras.
Assinada pelos advogados Marco Aurélio Carvalho, Marco Antônio Riechel Mann Jr., Fabiano Silva dos Santos, do grupo Prerrogativas, a petição inicial foi apresentada no dia 27 de abril e recebida nesta segunda-feira (23/05) pelojuiz Charles Renaud Frazão de Morais, que determinou a citação de Moro.
"Excessos e abusos"
Os autores da ação, os deputados petistas Rui Falcão, Erika Kokay, Natália Bonavides, José Guimarães e Paulo Pimenta acusam Moro de manipular "a maior empresa brasileira, a Petrobras, como mero instrumento útil ao acobertamento dos seus interesses pessoais".
Eles argumentam que, quando era juiz da Lava Jato, Moro teve "condutas atentatórias ao patrimônio público e à moralidade administrativa, as quais tiveram severos impactos na economia do país e em sua estabilidade democrática e institucional".
Os deputados também alegam que "os desvios de finalidade, os excessos e abusos" cometidos ao longo da operação Lava Jato produziram "um cenário de desarranjo econômico de altíssimo custo social em nosso país."
Não foi definido na petição inicial o valor da indenização que o ex-juiz deverá pagar caso seja condenado.
Moro condena corrupção
Em nota, Moro chama a ação de "risível" e disse que se defenderá assim que for citado. "A decisão do juiz de citar-me não envolve qualquer juízo de valor sobre a ação. Todo mundo sabe que o que prejudica a economia é a corrupção e não o combate a ela", afirma.
"A inversão de valores é completa: Em 2022, o PT quer, como disse Geraldo Alckmin, não só voltar a cena do crime, mas também culpar aqueles que se opuseram aos esquemas de corrupção da era petista", acrescenta o ex-ministro.
md/cn (ots)cp
@caminhopolitico @cpweb
www.caminhopolitico.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos