Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso

Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso
Av. André Maggi nº 6, Centro Político Administrativo Cep: 78.049-901- Cuiabá MT.

Salesiano Santo Antônio

Salesiano Santo Antônio
Rua Alexandre de Barros, 387, Chácara dos Pinheiros Cuiabá

Seu título está na mão

Seu título está na mão
1º Título de Eleitor Decreto nº 3.029 - 9.1.1881

CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ

CÂMARA MUNICIPAL DE CUIABÁ
Praça Moreira Cabral - Centro - s/n - Cuiabá-MT

segunda-feira, 2 de maio de 2022

Novo surto de Ebola no Congo mostra a necessidade de se vacinar

Recentemente saiu uma reportagem na CNN Brasil com um alerta da OMS para que a população no Congo volte a se vacinar para evitar novo surto do ‘Ebola’. Essa não é a realidade do Brasil, mas sabemos que novas doenças que antes estavam erradicadas como Sarampo e Poliomielite estão novamente ressurgindo justamente porque uma linha na internet defende que os pais deixem de vacinar seus filhos.
As crianças não estando imunizadas com as doses recomendadas e por ser uma doença altamente contagiosa, os casos de Sarampo tendem a aparecer rapidamente quando os níveis de vacinação diminuem. De acordo com a OMS, os casos de sarampo relatados em todo o mundo aumentaram 79% nos primeiros dois meses de 2022, em comparação com o mesmo período de 2021.
Cerca de 17 mil casos de sarampo foram relatados em todo o mundo em janeiro e fevereiro de 2022, em comparação com 9.665 registrados durante os dois primeiros meses de 2021.
Preocupados com a situação e em alerta, a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) alertaram que os países estão em risco de surtos graves da doença que pode ser prevenida pela vacinação.
O que a população tem que entender é que além de seu efeito direto no corpo, que pode ser letal, o vírus do sarampo também enfraquece o sistema imunológico e torna a criança mais vulneráveis a outras doenças infecciosas como pneumonia e diarreia, inclusive por meses após a própria infecção do sarampo entre aquelas que sobrevivem.
Portanto, todas as crianças de 6 meses a 4 anos, 11 meses e 29 dias, independentes da situação vacinal devem tomar as doses certas contra o Sarampo.
Rosane Argenta é diretora executiva da Franquia Saúde Livre

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos