Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Prefeitura de Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411 - 3500 WhatsApp (Ouvidoria): (66) 9 8438 - 0857

quinta-feira, 25 de maio de 2023

NOBRES: Dia da Indústria – 25 de maio

Indústria do cimento reduz emissões de CO2 transformando resíduos e biomassas em combustível alternativo. No Mato Grosso, fábrica da Votorantim Cimentos usa biomassa, pneus inservíveis, resíduos do agronegócio e de outras indústrias da região como fonte de energia para produção de cimento. A indústria brasileira do cimento é reconhecida mundialmente pelos avanços significativos na redução da pegada ambiental e contribuição com as metas globais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS). 
Neste 25 de maio, quando se comemora o Dia Nacional da Indústria, o tema ganha ainda mais relevância, pois o setor tem como compromisso avançar em iniciativas que reduzam suas emissões de carbono (CO2) e os desafios climáticos do planeta.
A indústria do cimento é responsável por 7% de todo o CO2 emitido pela ação humana no mundo. Já no Brasil, a participação do setor é de 2,3% - cerca de um terço da média mundial segundo Inventário Nacional de Emissões e Remoções Antrópicas de Gases Efeito Estufa não Controladas pelo Protocolo de Montreal.
A Votorantim Cimentos, empresa de materiais de construção e soluções sustentáveis, é um exemplo de indústria do setor que tem avançado em suas metas de descarbonização. Entre 1990 e 2022, a empresa reduziu 24% as emissões de CO2 por tonelada de cimento produzido no mundo. Uma das principais alavancas para esse resultado é o coprocessamento, uma tecnologia que substituiu o combustível fóssil por outros materiais, como resíduos e biomassas, em fornos para produção de cimento.
No Brasil, no ano passado, 31,3% do combustível utilizado pela Votorantim Cimentos em suas fábricas foram de origem alternativa, como resíduos e biomassas. A empresa também realizou investimento de R$ 27 milhões para modernizar suas fábricas no país e viabilizar o aumento do coprocessamento. Em 2022, a empresa utilizou 1,3 milhão de toneladas de resíduos e biomassas nas operações brasileiras – registrando um crescimento de 20% em relação a 2021, quando foram coprocessados 1,1 milhão toneladas.
No Mato Grosso, a fábrica de Cuiabá da Votorantim Cimentos tem contribuído para esses avanços com o uso de combustíveis alternativos. Desde 2013, a unidade substitui parte do coque de petróleo, importado dos Estados Unidos, por biomassa, pneus inservíveis, resíduos do agronegócio e de outras indústrias da região. Assim, ao invés de serem enviados para aterros ou simplesmente descartados de maneira inadequada, esses materiais são transformados em fonte de energia para o forno da indústria em Cuiabá.
“Utilizamos o coprocessamento desde o início da operação da nossa fábrica em Cuiabá há 10 anos. Além de atuarmos em sintonia com os nossos Compromissos de Sustentabilidade para 2030, o coprocessamento realizado na unidade reforça os nossos esforços contínuos em relação à agenda de neutralidade de carbono. Ao transformar resíduos em combustíveis, contribuímos com o nosso impacto positivo na sociedade, reduzindo nossa emissão de CO2 e destinando de forma ambientalmente correta resíduos da região”, afirma o gerente de fábrica da Votorantim Cimentos de Cuiabá, Tiago Mudesto.
No estado mato-grossense a Votorantim Cimentos também possui uma fábrica na cidade de Nobres que opera com o coprocessamento.
Jornada de descarbonização – A estratégia de descarbonização da Votorantim Cimentos está pautada em quatro grandes pilares: o coprocessamento, que é a substituição do combustível fóssil nos fornos de produção do cimento por outros materiais; o uso de cimentícios, que é a substituição do clínquer - o principal responsável pela emissão de CO2 no processo produtivo de cimento – por subprodutos vindos de outras indústrias; a eficiência energética e uso de fontes renováveis de energia, com hidrelétricas próprias e investimentos em energia solar e eólica; e o desenvolvimento de tecnologias, uso de processos inovadores, novos materiais, captura, uso e armazenamento de carbono, desmaterialização da cadeia de valor, parcerias com diversas entidades e academia para, cada vez mais, otimizar os recursos e reduzir a intensidade do carbono.
Em 2022, a Votorantim Cimentos registrou resultado global de emissões de 579 kg de CO2 por tonelada de cimento produzido, uma redução de 3% na comparação com 2021. Já a taxa de substituição térmica, por meio do coprocessamento, foi de 26,5%. O índice reflete o aumento na utilização de combustíveis alternativos, principalmente resíduos e biomassas, que substituem o combustível fóssil nos fornos de produção de cimento. No ano anterior, a empresa obteve um percentual de 22,4% de substituição térmica e para 2030 a meta é atingir o índice de 53%.
Sobre a Votorantim Cimentos
A Votorantim Cimentos é uma empresa de materiais de construção e soluções sustentáveis com mais de 13 mil empregados. O portfólio de materiais de construção vai além de cimentos e inclui concretos, argamassas e agregados. A companhia também atua nas áreas de insumos agrícolas, gestão de resíduos e coprocessamento. As unidades da Votorantim Cimentos estão estrategicamente próximas aos mais importantes mercados consumidores em crescimento e presente em dez países, além do Brasil: Argentina, Bolívia, Canadá, Espanha, Estados Unidos, Luxemburgo, Marrocos, Tunísia, Turquia e Uruguai. Mais informações em www.votorantimcimentos.com.br.
Assessoria/Caminho Político
@caminhopolitico cpweb
Instagram: @caminhopoliticomt
#renunciaemanuel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos