Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra
Avenida Brasil, 2351 - N, Jardim Europa, 78.300-901 (65) 3311-4800

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Prefeitura de Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411 - 3500 WhatsApp (Ouvidoria): (66) 9 8438 - 0857

quarta-feira, 26 de julho de 2023

Moraes diz à PF que agressão em Roma teve motivação política

Ministro do STF e familiares prestaram depoimento sobre agressões em aeroporto na Itália. Moraes disse que filho toi atingido no rosto por um dos brasileiros que acusavam o magistrado de "fraudar as eleições". O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e membros de sua família prestaram depoimento à Polícia Federal (PF) nesta terça-feira (25/07) sobre as agressões e ofensas que sofreram há duas semanas no Aeroporto Internacional de Roma.No depoimento, eles disseram aos policiais que os agressores tinham a intenção de gerar constrangimento ao ministro do STF e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que estava acompanhado de sua esposa e seus três filhos.
Segundo afirmaram, uma mulher identificada como Andréa Munarão se aproximou de Moraes e começou a chamá-lo de "comunista", "bandido" e "comprado" enquanto ele se credenciava para acessar uma sala VIP no aeroporto.
Pouco depois, quando Moraes e sua família já estavam dentro da sala VIP, a mulher começou a gritar para os filhos o ministro que ele havia "fraudado as urnas e roubado as eleições", e passou a filmá-lo com seu telefone celular.
Os filhos de Moraes alertaram a agressora que se as ofensas continuassem ela seria gravada e processada.
Moraes alertou agressores que iria processá-los
Andréa então chamou seu marido, Roberto Mantovani Filho, que também começou a hostilizar a família do ministro. Os depoimentos apontam que o homem, um empresário do interior de São Paulo, avançou na direção de um dos filhos de Moraes e passou a chamá-lo de "filho de bandido, comunista, ladrão".
O jovem então tentou pegar seu telefone celular para gravar as agressões, quando foi atingido por um tapa no rosto dado por Mantovani, que chegou a derrubar seus óculos. O empresário foi contido por um estrangeiro e chegou deixar o local, mas acabou retornando à porta da sala VIP para a proferir novas ofensas e gravar a família de Moraes com seu telefone.
Moraes disse à PF que, nesse momento, foi em direção aos agressores e os alertou que aquela era a segunda vez que ofendiam e agrediam sua família, e que tiraria fotos para identificá-los e processá-los no Brasil.
Isso, porém, não impediu que Mantovani, sua esposa e seu genro, Alex Zanata, continuassem com as ofensas. Nesse momento, Moraes fotografou os agressores e se retirou do local, junto de sua família.
O ministro e seus familiares afirmaram em seus depoimentos que as imagens das câmeras de segurança do Aeroporto Internacional de Roma confirmarão sua narrativa dos fatos. A defesa dos acusados alega que as hostilidades não partiram deles. A afirmação será confrontada com as imagens do circuito interno de segurança, já solicitadas pela PF.
"Não sabiam que era um filho do ministro"
Ao prestarem depoimento à PF, Mantovani e sua esposa negaram a agressão física ao filho de Moraes.
O empresário, segundo seus advogados, admite ter "afastado com o braço" o filho do ministro no intuito de defender sua esposa.
O advogado de defesa Ralph Tórtima Stettinger diz que ambos relataram terem sido vítimas de ofensas por parte do filho de Moraes, e que também avaliam pedir as imagens das câmeras de segurança do aeroporto.
Mantonavi alegou que não sabia que estava discutindo com o filho do ministro do STF. Segundo seu advogado, "somente quando desembarcaram e foram abordados pela PF no aeroporto é que tomaram conhecimento que se tratava de um filho do ministro".
Após ser acionada por Moraes, a PF abriu inquérito para apurar as circunstâncias da abordagem e a possível agressão ao filho do ministro. Os três suspeitos estão sendo investigados.
rc (ots)Caminho político
@caminhopolitico cpweb
Instagram: @caminhopoliticomt
#renunciaemanuel #chicocinquentinha
#renunciestopa #PRISAOparaEMANUELeSTOPAja
#NÃOreelezavereadoresemcuiabá
#FACISTASpoliticosreligiososNÃO
#casadoshorrores #casadamutreta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos