Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso

Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso
Cons. Benjamin Duarte Monteiro, Nº 01, Ed. Marechal Rondon

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra

Prefeitura Municipal de Tangará da Serra
Avenida Brasil, 2351 - N, Jardim Europa, 78.300-901 (65) 3311-4800

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)

Deputado Estadual Drº. Eugênio de Paiva (PSB-40)
Agora como deputado estadual, Eugênio tem sido a voz do Araguaia, representa o #VALEDOARAGUAIA! 100% ARAGUAIA!🏆

Governo de Mato Grosso

Governo de Mato Grosso
Palácio Paiaguás - Rua Des. Carlos Avalone, s/n - Centro Político Administrativo

Prefeitura de Rondonópolis

Prefeitura de Rondonópolis
Endereço: Avenida Duque de Caxias, 1000, Vila Aurora, 78740-022 Telefone: (66) 3411 - 3500 WhatsApp (Ouvidoria): (66) 9 8438 - 0857

quarta-feira, 29 de novembro de 2023

EM DEFESA DE MT: Leonardo Bortoli: “Moratória da Soja e da Carne pode quebrar algumas partes do estado de Mato Grosso"

O prefeito Leonardo Bortolin de Primavera do Leste (a 232 km de Cuiabá) e presidente eleito da Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), teme que a chamada “Moratória da Soja e da Carne” possa “quebrar” municípios do Estado que tem sua economia pujante por meio da agropecuária.
"A questão da moratória da soja não é algo de interesse só do produtor rural, mas da vida dos municípios. Você imagina que tem cidades onde houve a abertura de área depois de 2008, ou seja, desmatamento legal e que a partir de um acordo privado que sobrepõe a legislação de livre comércio brasileira, vai impedir esses municípios de poder fazer a venda tanto dos produtos da commodities quanto da pecuária. Então, isso significa o que? Quebrar algumas partes do estado de Mato Grosso que hoje têm o seu bioma predominantemente no bioma da Amazônia”, destacou.
Iniciativa da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove) e da Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec), a medida impede a venda de soja e carne de produtores mato-grossenses que legalmente abriram novas áreas de terra a partir de 2008.
Na semana passada, cerca de 87 prefeitos de Mato Grosso, estiveram reunidos com o governador Mauro Mendes (União Brasil), junto com representantes do agronegócio para discutir a forma como as grandes empresas estão usando a moratória da soja.
Depois de ouvir os relatos e pedidos, o governador Mauro Mendes prometeu tomar medidas para que isso seja resolvido, e o acordo seja retomado sem que haja abuso de poder das grandes empresas.
Mauro Mendes afirmou que a moratória desrespeita os cidadãos, produtores regionais e aquilo que prevê o Código Florestal Brasileiro. “A moratória é um desrespeito contra os produtores e cidadãos mato-grossenses e também contra o Congresso Nacional, pois passa por cima do próprio Código Florestal Brasileiro, que é uma das leis ambientais mais importantes aprovadas nos últimos anos. Essas empresas não estão respeitando isso. Estão usando o poderio econômico que possuem para impor esse mecanismo”, argumentou.
Reunião na ALMT
Nesta segunda (27), prefeitos, produtores rurais e representantes de organizações como Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), Associação de Produtores de Soja (Aprosoja Brasil e Aprosoja MT), Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), sindicatos rurais, entre outros se reuniram na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) debateram em audiência pública sobre o assunto.
Os produtores rurais reclamaram do impedimento de negociar e todos estão sendo prejudicados.
O deputado federal Coronel Assis (União Brasil), que esteve presente na reunião, se comprometeu a levar o assunto à Câmara dos Deputados, em Brasília.
Assessoria/Caminho político
@caminhopolitico @cpweb
Curta nosso Instagram: @caminhopoliticomt

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ame,cuide e respeite os idosos